Menu

Assine nossa newsletter

Folha de S.Paulo

Francês traz fusão com a dança contemporânea

24.11.2006  |  por Valmir Santos

São Paulo, sexta-feira, 24 de novembro de 2006

TEATRO

VALMIR SANTOS

Da Reportagem Local 

Do epicentro Nova York, nos anos 70, passando pela chegada à França, na década seguinte, e com forte recepção no Brasil, também nos anos 80 e 90, a cultura hip hop não só expande seu território como cada vez mais interage com outras artes. 

“Hoje, o que está em jogo na dança hip hop é continuar a explorar diferentes correntes artísticas inspiradoras da história da dança contemporânea”, afirma o bailarino e coreógrafo francês Hamid Ben Mahi, filho de imigrantes argelinos, que faz esta noite a última apresentação do solo “Chronics(s)” no Sesc Ipiranga, em São Paulo. 

A palavra em cena
O projeto marca o encontro de Ben Mahi, de formação básica autodidata, com o diretor de teatro Michel Schweizer, também francês. O espetáculo intercala decomposição, misturas e combinações nos movimentos do corpo (inclusive releitura da dança clássica) ao mesmo tempo que faz uma reflexão sobre o sentido da palavra em cena. 

Projeções em vídeo apóiam as narrativas gestuais e verbais na chave do depoimento pessoal e de assuntos polêmicos, como o racismo e a xenofobia. 

“A cultura hip hop nasce da urgência. A urgência de experimentar e de reivindicar sua existência”, afirma Ben Mahi, fundador da cia. Hors Série. 

“Ela é universal e onipresente em todas as artes: o teatro, a música, as artes de rua, o circo, o cinema”. 

Para o adido cultural da França em São Paulo, Philippe Ariagno, o trabalho de Ben Mahi soma-se às passagens recentes pela cidade do bailarino e ator francês Pierre Rigal (“Erection”) e do cenógrafo Philippe Quesne (“La Démangeaison des Ailes”), artistas adeptos do hibridismo na arte. 

Para Ariagno, “Cronic(s)” é uma “resposta perfeita aos acontecimentos que inflamaram as periferias das cidades francesas meses atrás”.



Chonic (s) 
Onde: Sesc Ipiranga (r. Bom Pastor, 822, tel. 0/xx/113340-2000) 
Quando: hoje, às 21h 
Quanto: R$ 3 a R$ 12 

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados