Menu

Assine nossa newsletter

Folha de S.Paulo

Cia. Triptal encena duas peças de Eugene O’Neill

8.11.2007  |  por Valmir Santos

São Paulo, quinta-feira, 08 de novembro de 2007

TEATRO 

Grupo dirigido por André Garolli estréia em SP “Longa Viagem de Volta pra Casa”, terceira parte do projeto “Homens ao Mar”
 

VALMIR SANTOS
Da Reportagem Local 

Eugene Gladstone O’Neill (1888-1953) viveu parte da adolescência no condado de New London, no Estado americano de Connecticut, onde o cais do porto e o convés dos navios eram territórios propícios à conversa -mais à escuta- das aventuras de marinheiros. Isso antes de se tornar, ele também, um dos homens ao mar na fase seminal dos esboços de dramas e tragédias que pôs no papel. 

“Longa Viagem de Volta pra Casa”, que a Cia. Triptal de Teatro estréia hoje, para convidados, no Sesc Pompéia, alude à biografia do Nobel de Literatura e autor de “Longa Jornada de um Dia Noite Adentro”. 

Ao contrário das duas peças anteriores da Triptal, dentro do projeto de repertório “Homens ao Mar”, dedicado a O’Neill (“Rumo a Cardiff”, de 2003, e “Zona de Guerra”, 2006), essa terceira não se passa em alto-mar, mas em terra firme. Ou nem tanto. “Os personagens não deixam de ser náufragos ou encalhados [como metáfora]. Ou seja, com O’Neill não tem saída”, diz o diretor André Garolli, 40. Quatro marujos de um navio desembarcam em Londres e vão a um bar para a despedida de um deles, álibi para encher a cara e dormir com prostitutas. 

A ovelha a desgarrar é o sueco Olson, que, desta vez, promete fazer diferente. Quer ficar sóbrio para não se perder na noite e conseguir voltar para casa. Faz pelo menos dez anos que não vê a mãe e o irmão. Mas, com o destino, são outros quinhentos. 
Ausente em “Cardiff” e “Zona de Guerra”, o elemento feminino surge com força e mobilizará o universo masculino dominante. Entre barris e velas, o bar é o ambiente de sedução e de exploração, quase um purgatório, na visão de Garolli. 

Para o diretor, estão em xeque as identidades individual e coletiva e as ilusões que impedem o sujeito de estabelecer contato direto com a realidade. Entre os 12 atores estão Daniel Ribeiro (como Olson), Kalil Jabour, Wagner Menegare, Juliana Liegel e Beth Rizzo. 

Ainda na unidade, reestréia, no próximo dia 14, “Zona de Guerra”, com sessões às quartas e quintas, às 21h30, até 6/12. A companhia fechará a tetralogia “Homens ao Mar” com “Luar Sobre o Caribe”, no ano que vem.



Longa viagem de volta pra casa
Onde: Sesc Pompéia – galpão (r. Clélia, 93, tel. 0/xx/11/3871-7700) 
Quando: estréia hoje, para convidados; temporada sex. e sáb., às 21h30; dom., às 19h; até 9/12 
Quanto: R$ 4 a R$ 16 

Zona de guerra
Onde: Sesc Pompéia – galpão 
Quando: reestréia dia 14/11; qua. e qui., às 21h30; até 6/12 
Quanto: R$ 4 a R$ 16 

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados