Menu

Assine nossa newsletter

Folha de S.Paulo

Movimento de teatro critica Funarte

10.12.2007  |  por Valmir Santos

São Paulo, segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

TEATRO 

Encontro em Porto Alegre foi marcado por cancelamento do convênio de R$ 50 mil com braço das artes cênicas do MinC
 

Em documento de balanço, grupos alegaram demora da disponibilização dos recursos firmados e dificuldade de comunicação

VALMIR SANTOS
Em Porto Alegre 

Grupos de teatro do movimento Redemoinho criticam a gestão de Celso Frateschi na presidência da Funarte, o braço das artes cênicas do Ministério da Cultura. O 4º Encontro Nacional do Redemoinho, ocorrido durante três dias da semana passada, em Porto Alegre, foi marcado pelo cancelamento do convênio de R$ 50 mil assinado com o órgão federal que apoiou edições anteriores.

Em documento de balanço divulgado na noite de quarta-feira, os grupos alegaram “demora da disponibilização dos recursos firmados”, sinalizados a quatro dias da abertura, e “dificuldade de comunicação” com a Funarte.

No encontro, por exemplo, o ator e um dos fundadores do grupo Galpão (MG), Chico Pelúcio, afirmou que a relação “está ruim” e que era preciso mostrar que “estamos insatisfeitos com o tratamento que a Funarte deu ao Redemoinho”.

O também ator Frateschi, nome ligado à aprovação da pioneira Lei de Fomento paulistana (2002), se disse decepcionado e reclamou de “leviandade”. Segundo ele, a responsabilidade pelo atraso do repasse é do próprio movimento, por razões de documentação, e mesmo assim haveria “tempo hábil para ser realizado”.

O Redemoinho diz que a negociação vinha desde julho e a verba não poderia ser usada porque liberada de fato quando a reunião “já estava em andamento”.

Com representantes de 37 grupos de 11 Estados, o encontro decidiu que a principal ação política em 2008 será a mobilização pela aprovação do projeto de lei que institui um Fomento em nível federal. No dia 27 de março, em que se comemora o Dia do Teatro, os artistas lerão aos seus espectadores um manifesto sobre o programa. O documento também será encaminhado ao presidente Lula e a deputados e senadores.

O evento divulgou ainda carta aberta à prefeitura de Porto Alegre cobrando providências quanto à ordem de despejo sofrida pela Terreira, sede da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, onde aconteceu o encontro -o grupo completa 30 anos em 2008.
A próxima edição do Redemoinho ocorrerá em dezembro de 2008, em Salvador.

O movimento de coletivos surgiu em 2004 como rede brasileira de espaços de criação, compartilhamento e pesquisa teatral. E vem se afirmando pela proposição de políticas públicas para a área. 

 

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados