Menu

Assine nossa newsletter

Folha de S.Paulo

Comédia do dramaturgo americano Larry Shue estréia em São Paulo

11.1.2008  |  por Valmir Santos

São Paulo, sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

TEATRO 
Jogo de situações tem mais força que os diálogos em “O Mala”, avalia diretor 

VALMIR SANTOS
Da Reportagem Local

Morto num acidente aéreo, em 1985, o autor norte-americano Larry Shue torna-se mais conhecido em palcos brasileiros nestes anos 2000. Depois de “O Estrangeiro” (2006), é a vez de São Paulo conhecer outra comédia deste dramaturgo e ator que tocava sua própria companhia: “O Mala”, com direção de Isser Korik. 

Os dois textos têm em comum a súbita chegada de um visitante que põe a vida dos anfitriões de ponta-cabeça. 

Em “O Mala” (“The Nerd”, 1981), é José Rubens Chachá quem encarna o dito cujo. Rick chega à casa do arquiteto Willum (Otávio Martins) em plena festa dos 34 anos do rapaz que lhe é tributário de uma grata dívida. A visita resulta em temporada. O enredo expõe o desespero do aniversariante e dos seus amigos para tentar livrar-se do indesejado. 

Segundo Korik, 46, as peças de Shue são o que ele chama de comédias bem-estruturadas, em que o jogo de situações diz mais ao espectador do que o mero diálogo. “O público ri não do que é dito, mas do que vai acontecer”, afirma. 

O ator Eduardo Leão substitui Olayr Coan, morto em acidente automobilístico no final do ano, no elenco da peça.



Peça: O mala 
Onde:
Teatro Folha – shopping Pátio Higienópolis (av. Higienópolis, 618, piso 2, tel. 0/xx/11/3823-2323) 
Quando: estréia hoje; sex., às 21h30; sáb., às 20h e às 22h; e dom., às 20h 
Quanto: R$ 40 (sex. e dom.) e R$ 50 (sáb.) 

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados