Menu

Assine nossa newsletter

Reportagem

O ano Bob Wilson no Brasil

13.8.2012  |  por Valmir Santos

Foto de capa: Valmir Santos

Vem aí uma sequência de criações de Bob Wilson no país, com passagens confirmadas por São Paulo e Porto Alegre.

De 14 a 20 de abril ele apresenta no Sesc Belenzinho o solo A última gravação de Krapp (2009), atuando como o velho septuagenário de Samuel Beckett a reboboniar seu passado – mesma idade do artista norte-americano. Escrevi aqui quando assisti em Bogotá, em 2010.

E novembro será o mês de extraordinária concentração de obras assinadas pelo encenador.

A companhia alemã Berlliner Ensemble traz dois espetáculos para o Sesc Pinheiros: A ópera dos três vinténs, de Brecht (7 a 11/11), que o coordenador do Porto Alegre em Cena, Luciano Alabarse, também confirma como extensão do festival naquele mês; e Lulu, de Wedekind.

Segundo a Gerência de Ação Cultural do Sesc-SP, A ópera dos três vinténs abriu a temporada de teatro de 2011 do Brooklyn Academy of Music (BAM), em Nova York, e Lulu fez parte do disputado programa de outono do Théâtre de la Ville, em Paris. Será a primeira vez que ambos os espetáculos poderão ser vistos consecutivamente numa mesma cidade.

E para arrematar o novembro wilsoniano, o Teatro Municipal de São Paulo anunciou a ópera Macbeth, versão da peça de Shakespeare composta por Verdi (23 a 30/11), sob sua direção cênica e regência de Abel Rocha, como Irineu Franco Perpetuo escreveu na Folha.

Foi o mesmo Municipal que introduziu Bob Wilson no país em 1974, com a encenação de A vida e a época de Joseph Stálin durante o Festival Internacional de São Paulo então coordenado por Ruth Escobar. À época, sob censura militar, o nome do ditador soviético foi substituído por “Dave Clark”.

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados