Menu

Assine nossa newsletter

Reportagem

Radionovela cênica de Spregelburd em ‘Spam’

30.3.2014  |  por Helena Carnieri

Foto de capa: Divulgação (fotomontagem)

O Festival de Teatro apresenta duas estreias na noite deste domingo. Sexo, drogas e rock’n’roll traz Bruno Mazzeo em seis facetas diferentes, num monólogo que promete muita verve em cena. Havia poucos ingressos disponíveis até o fechamento desta edição.

A outra é do argentino – e pop star teatral – Rafael Spregelburd. Spam é sua segunda colaboração com o cunhado, o músico Zpyce, que cria instrumentos a partir de sucata industrial. A obra, um monólogo de Spregelburd recheado com muita música, no que ele chama de “ópera falada”, procura inverter as noções do que é real ou virtual.

Na trama, um professor italiano – a peça foi estreada por ele em Nápoles, com um ator local – responde a um desses spams absurdos que solicitam uma conta bancária para que alguém no sudeste asiático possa esconder um dinheiro procurado pela máfia. O personagem fornece sua conta, e, incrivelmente, recebe o dinheiro prometido. Na esteira, porém, chega a máfia malásia em busca de seus rendimentos.

“É como se fosse uma radionovela policial ao vivo, mas que não teria tanto interesse pelo rádio. Os instrumentos usados em cena são muito vistosos, feitos com pedaços de motor ou até usados debaixo d’água”, contou o autor, diretor e ator à Gazeta do Povo.

Spregelburd confunde virtual e real em ‘Spam’

A brincadeira com o mundo virtual e a economia globalizada surgiu numa temporada na Itália, justo quando aquele país entrava em sua grave crise financeira. Falava-se muito no fim do euro e do capitalismo. “Faço uma sátira disso, porque a ideia de apocalipse é muito útil ao poder para assustar as pessoas e garantir que nada mude.”

A história contada – a paixão de Spregelburd é contá-las – não é linear. Os capítulos são sorteados em cena e se conformam à confusão do protagonista, que bateu a cabeça e perdeu a memória.

.:. Publicado originalmente na Gazeta do Povo, Caderno G, p. 3, em 30/3/2014.

Serviço:

Sexo, drogas e rock’n’roll
Onde: Guairão (Rua Conselheiro Laurindo, s/nº, Centro, Curitiba, tel. 41 3304-7982.
Quando: Hoje, às 19h, e amanhã às, 21h.

Spam
Onde: Teatro da Reitoria (Rua XV de No­­­vembro, 1.299, Centro, Curitiba, tel. 41 3360-5066.
Quando: Hoje, às 19h, e amanhã, às 21h.

23º Festival de Teatro de Curitiba
Quando: Até 6/4.
Quanto? R$ 60. Mostra paralela/Fringe: de entrada franca a R$ 60. Mais informações, aqui.

Ficha técnica:
Ideia original e texto: Rafael Spregelburd
Direção geral: Rafael Spregelburd
Música e Direção Musical: Zypce
Com: Rafael Spregelburd e Zypce
Assistente de dramaturgia: Manuela Cherubini
Assistente de direção: Gabriel Guz
Iluminação: Santiago Badillo
Assistente de som: Pablo Cerone
Cenografia: Escudero’s
Desenho do programa: Alessandro Sordi
Atores em vídeos e vozes: Elisa Carricajo, Manolo Muoio, Patrizia Frencio, Pino Frencio, Laura Amalfi e Ian Barnett nolo Muoio, Patrizia Frencio, Pino Frencio, Laura Amalf, Ian Barnett
Vídeo: Alessandro Olla, Alejo Varisto e Alejo Moguillansky
Animação em vídeo: Elisa Marras
Ilustração em vídeo: Valentina Olla
Tipografias eblaítas: Eduardo del Estal
Modelos chineses: An Na, Hsueh Elisa, Hsueh Daniel, Caravaggio, Liu Sung| Modelos da Agencia TCV Productions
Maquiagem: Georgina Serafini
Figurino: Flor Lista
Photoshop: Studio Farbone
Direção musical: Zypce
Agradecimentos: Alessandro Olla, Lorenzo Gleijeses, Luz Rodríguez Carranza, Guillermo Pisani, Mónica Raiola, Mariano Sivak, Nicolás Cecinini, Bodil Kok, Mariano Stolkiner, Lucas Plazzotta, Teatro El Extranjero, Daniel Rosenfeld, Mariano Llinás, Agustín Mendilaharzu, Jatul, Isol.

Helena Carnieri

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados