Menu

Assine nossa newsletter

Nota

A jornada do Théâtre du Soleil pelas oficinas culturais de SP

26.7.2014  |  por Teatrojornal

As Oficinas Culturais do Estado de São Paulo promovem de 28 a 2 de agosto itinerância da companhia francesa Théâtre du Soleil pelo interior e capital. As atividades gratuitas abarcam o workshop “O Teatro é o Outro” e o espetáculo-conferência Palavra de ator. Fazem parte do roteiro as unidades de São José dos Campos (batizada Altino Bondesan), Santos (Pagu), Sorocaba (Grande Otelo), São Carlos (Sérgio Buarque de Holanda), Marília (Tarsila do Amaral) e Bauru (Glauco Pinto de Moraes), além da Oficina Oswald de Andrade, no bairro paulistano do Bom Retiro, que abre nesta tarde de sábado, 26, exposição fotográfica de mesmo nome do projeto formativo, Être au Soleil (estar ao sol).

As atividades dos artistas da companhia da diretora Ariane Mnouchkine na Oswald compreendem três workshop.

“O Teatro é o Outro” tem condução dos atores Eve Doe Bruce (franco-togolesa), Maurice Durozier (francês) e Aline Borsari (brasileira) entre os dias 4 e 6/8, das 14h às 18h. A intenção é proporcionar aos participantes um espaço criativo para experimentações cênicas.

Em “Os modos de produção do Théâtre du Soleil”, no dia 2/8, das 14h às 17h, a jornalista, produtora e pesquisadora Deolinda Vilhena (UFBA) analisa e compartilha bases do modelo de produção adotado pela companhia.

Já “Improvisações”, com as atrizes Eve Doe Bruce e Gabriela Rabelo (brasileira) ocorre de 4 a 8/8, das 9h ás 13h, abordando diferentes etapas do processo de criação com uma metodologia ancorada no treinamento do ator que busca a precisão corporal e vocal, além dos jogos teatrais.

Maurice Durozier em ‘Palavra de ator’

Maurice Durozier e Aline Borsari também contracenam no espetáculo-conferência Palavra de ator, que circulou nos últimos meses por cidades como Natal, Recife, Brasília e Rio de Janeiro. As sessões acontecem nos dias 7 e 8/8, às 20h.

Integrante do Soleil desde 1980, o ator inicia o trabalho servindo para a plateia um “tchai” – chá indiano com temperos – para “despertar os sentidos”, como explica. “A ideia é sublinhar as contradições de quem representa e, longe de revelar o mistério, a montagem é um convite para entrar na intimidade do ator, do outro lado da cortina”, diz Durozier, também autor e diretor. O texto revela sensações, interrogações e convicções emanadas do palco que cohabita há mais de três décadas.

No dia 9/8, às 13h, Ariane Mnouchkine, cofundadora da companhia há meio século, e a atriz brasileira Juliana Carneiro da Cunha, 24 anos de Théâtre du Soleil, conduzem quatro horas de aula magna. Em pauta, as seguintes interrogações: quais são as leis fundamentais do teatro? O que é a presença? Quais são as qualidades de atuação necessárias para o ator?

A Oficina Oswald de Andrade exibe ainda um ciclo comentado de filmes produzidos pela trupe, de 4 a 6/8, sempre às 18h30: Tambours sur la digue, Les éphémères e Au soleil même la nuit.

Uma das imagens da exposição de Erika Bodstein

Já a exposição Être au Soleil, cujo vernissage acontece nesta tarde e pode ser visitada a partir de segunda-feira, das 10h às 21h, é de autoria da fotógrafa Erika Bodstein sob cenografia de Paula Baraldi e consultoria de imagens de Valéria Marchi. Trata-se de primeira individual da também diretora de teatro. A mostra apresenta registros das oficinas realizadas na Oswald em 2013: “Jogos teatrais do Théâtre Du Soleil”, ministrada por Juliana Carneiro da Cunha e Eve Doe Bruce; “O corpo musical”, com Jean-Jacques Lemêtre e “Treinamento para atores com máscaras balinesas”, coordenado por Eve Doe Bruce e Fabiana de Mello e Souza.

Mais informações sobre as inscrições e a programação completa, aqui, ou por meio do email: etreausoleil@gmail.com.

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados