Menu

Assine nossa newsletter

Reportagem

Vida e obra do ‘velho safado’

20.7.2014  |  por Fábio Prikladnicki

Foto de capa: Jéssica Barbosa

O velho safado voltará a dar as caras no palco. Autor adaptado recorrentemente no teatro, o norte-americano nascido na Alemanha Charles Bukowski (1920–1994) será vivido pelo experiente ator Roberto Oliveira, que também dirigirá a montagem.

Produção do Depósito de Teatro, companhia que completa 18 anos, Bukowski — histórias da vida subterrânea foi viabilizada com o Prêmio de Incentivo à Pesquisa em Artes Cênicas do Teatro de Arena de Porto Alegre, onde o espetáculo estreia estreou na sexta-feira (18/7). Em 1988, o escritor havia sido representado por Zé Adão Barbosa na peça Memory motel, com direção de Humberto Vieira, atuação que valeu um Prêmio Açorianos.

Não é difícil entender o contínuo apelo do autor. Com uma literatura fortemente autobiográfica, em que figuram relatos de teor sexual, pontuados por uma visão cínica do mundo e muita bebedeira, Bukowski segue lido pelas novas gerações. A editora L&PM já vendeu 500 mil exemplares de seus livros em cinco anos e planeja novos títulos. No segundo semestre, será lançada a Miscelânea septuagenária, com poemas, contos e outros textos. Entre o final do ano e o início de 2015, virão duas antologias de poesia: Burning in water, drowning in flame e The people look like flowers at last (ambas ainda sem título em português).

Baseada em diversas obras assinadas por Bukowski, especialmente o romance Mulheres, a peça do Depósito de Teatro se debruça sobre a biografia do autor e de seu alter ego Henry Chinaski, com foco nas relações turbulentas com grandes amores, interpretados por Aline Armani Picetti, Elisa Heidrich, Francine Kliemann e Pitti Sgarbi. Marcelo Johann completa o elenco. Fã do autor desde a juventude, Roberto Oliveira acalenta o projeto há mais de 20 anos:

“Bukowski sempre dizia que sua literatura é autobiográfica, não tínhamos como escapar desse foco. Pegamos suas grandes paixões e as colocamos em cena. Mas hoje não sabemos a que ponto seus relatos são 100% verdadeiros ou não”, afirma.

Para 2015, o Depósito de Teatro cogita voltar a alugar uma sede, como fez no passado. Desde 2009, a companhia ocupa uma sala na Usina do Gasômetro dentro do projeto Usina das Artes. Os próximos trabalhos serão para o público infantil: um deles voltado para o uso consciente da água e outro inspirado em Alice no país das maravilhas.

.:. Texto originalmente publicado na versão digital do jornal Zero Hora, seção Entretenimento, em 17/7/2014.

Serviço:

Onde: Teatro de Arena (Avenida Borges de Medeiros, 835, Centro, Porto Alegre, tel. 51 3226-0242)
Quando: Sábado e domingo, às 20h. Até 17/8.
Quanto: R$ 10 a R$ 30.

Ficha técnica:
Adaptação e direção: Roberto Salerno de Oliveira
Com: Roberto Oliveira, Elisa Heidrich, Marcelo Johann, Francine Kliemann, Pitti Sgarbi e Aline Armani Picetti
Iluminação: Fabiana Santos
Trilha sonora: Arthur de Faria
Produção executiva: Joice Rossato
Assistente de direção: Isandria Fermiano
Assessoria de comunicação: Liane Strapazzon
Produção geral: Depósito de Teatro

Fábio Prikladnicki

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados