Menu

Assine nossa newsletter

Nota

Morre o diretor russo Yuri Lyublimov, 97 anos

5.10.2014  |  por Teatrojornal

O diretor russo Yuri Lyublimov morreu neste domingo (5), aos 97 anos, em consequência de problemas cardíacos. Ele estava internado havia quatro dias em hospital de Moscou. Lyublimov era um dos nomes mais influentes da cena contemporânea europeia, sobretudo aquela inclinada à pesquisa permanente, como sublinhou na condução do Teatro Taganka, espaço formativo e criativo do qual foi cofundador e diretor artístico de 1964 a 2011.

Em alguma medida, influenciou criadores como Piotr Fomenko (1932-2012), Anatoli Vassiliev, Kama Ginkas e Lev Dodin, mesmo quando trilharam formas e conteúdos opostos.

Nascido a 18 dias da revolução socialista de outubro de 1917, Lyublimov iniciou a carreira como ator e trazia na bagagem, conforme a agência de notícias Tass, o convívio com criadores como o diretor Vsevolod Meyerhold (1874-1940), o compositor Dmitri Chostakovitch (1906-1975), o escritor Boris Pasternak (1890-1960) e o cantor e ator Vladimir Vyssotski (1938-1980).

Lyublimov, cofundador do Teatro Taganka

Assim como o cineasta Andrei Tarkovski (1932-1986), Lyubimov foi perseguido pelo regime conservador do Partido Comunista. Os espetáculos do Taganka impactavam pela visualidade e pela abordagem crítica, mesmo quando revisitava os clássicos, simbolizando resistência criativa e ideológica diante da censura e da arbitrariedade do poder soviético.

Algumas de suas produções foram proibidas pelo regime e, em 1984, perdeu a cidadania soviética. O encenador partiu para o exílio trabalhando na Europa, nos Estados Unidos e no Japão, retornando em 1989 à então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) quando Mikhail Gorbatchev já assumira e ajudou a distender o ambiente político.

O último espetáculo que assinou foi a ópera O principie Igor, de Alexander Borodin, que cumpriu temporada em 2013 no Teatro Bolshoi. Assinou montagens marcantes como Hamlet (1976), Crime e castigo (1983) e Fausto (2002), sempre em inventivas versões para as respectivas obras de Shakespeare, Dostoiévski e Goethe.

Em 2011, foi contemplado na categoria especial do Prêmio Europa de Teatro em São Petersburgo, ao lado do colega alemão Peter Stein.

Assista à integra da ópera O príncipe Igor, aqui.

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados