Menu

Assine nossa newsletter

Nota

Núcleo Bartolomeu é despejado de sua sede

27.11.2014  |  por Valmir Santos

O artistas do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos amanheceram nesta quinta (27/11) com a notícia do despejo de sua sede no bairro paulistano da Pompeia. Às 7h30 um oficial de justiça, acompanhado da Polícia Militar e de um caminhão de mudanças, chegou de surpresa ao galpão da Rua Doutor Augusto de Mirada, 786, para executar a ordem.

Em atividade há 12 anos, o grupo fundado por Claudia Schapira, Luaa Gabanini, Roberta Estrela D’Alva e Eugênio Lima resistia há cerca de um ano à perda do espaço mantido desde 2004. Por meio de advogados, negociava com a Ink Incorporadora, que vai construir um empreendimento residencial no local.

Dentre os vários atos de resistência, o grupo lançou o manifesto em defesa de território artístico-cultural (A Arte de sediar existência), que expõe a pressão da especulação imobiliária sobre os espaços teatrais.

As últimas apresentações do solo Baderna, com Luaa Gabanini, já contracenava com os efeitos da obra no entorno, as paredes arruinadas e a iminência do desmanche.

Em vídeo postado no Facebook, o ator e DJ Eugenio Lima criticou o “aceleramento do despejo” em ação movida pela Ink Incorporadora, procedimento que refletiria a dubiedade do discurso público da empresa que diz negociar com o grupo e, no entanto, apela à “força coercitiva da lei para sobreviver o grande capital”, uma estratégia típica de “concentração de renda”, nas palavras de Lima.

A ação de despejo no espaço do Núcleo Bartolomeu

Há 12 anos o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos desenvolve, difunde e cria pesquisas de linguagem a partir da união do teatro épico com o hip-hop, resultando no Teatro Hip-Hop, um conceito pioneiro no Brasil que abre inúmeras possibilidades e campos de ação, dialogando com as tendências e diversidades das manifestações urbanas.

Tendo a palavra, a oralidade, a música e a poesia como fios condutores da pesquisa, o grupo participou dos principais festivais de teatro, entre eles: Cena Contemporânea, Filo e Teatralia (Madrid), e ganhou os prêmios Shell SP na categoria direção musical (Frátria amada Brasil), melhor espetáculo jovem prêmio Coca-Cola FEMSA [Cindi HipHop – Pequena ópera rap] e o Prêmio Governador do Estado de São Paulo de melhor espetáculo (Antígona recortada).

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados