Menu

Assine nossa newsletter

Reportagem

Porto Verão Alegre vai coproduzir

29.12.2014  |  por Michele Rolim

Foto de capa: André Feltes

A 16ª edição do Porto Verão Alegre, que abre o ano teatral na capital gaúcha no mês que vem, começa com uma boa notícia: o projeto vai financiar uma peça, e o que é melhor, nesta e nas próximas edições. A estreia será com Romeu e Julieta, de William Shakespeare, com direção de Néstor Monasterio. Nos próximos anos, segundo Zé Victor Castiel – um dos coordenadores do festival, ao lado de Rogério Beretta – serão abertas as inscrições para que os artistas interessados enviem projetos de montagem – o valor destinado deve ser de R$ 70 mil e a escolha se dará por meio de uma curadoria, ainda não definida. “O valor que acabávamos gastando com a noite de abertura do festival resolvemos direcionar para algo mais perene para a cidade, como uma peça”, conta Castiel.

A montagem se apresenta para convidados no dia 8 de janeiro no Teatro do Bourbon Country, dando início ao festival no dia seguinte, que segue até 12 de fevereiro. A peça faz temporada no Centro Histórico-Cultural Santa Casa (Independência,75), um dos novos espaços escolhidos para sediar o festival, somado também ao Instituto Ling (João Caetano, 440). Nesta edição, alguns locais tradicionais da cidade ficaram de fora por não apresentarem condições de receber o público, como não funcionamento do ar-condicionado até não possuir alvará de prevenção contra incêndios. A ocupação ocorrerá em nove salas da capital.

Isso explica, em alguma parte, a diminuição no número de atrações, de cerca de 80 na edição passada, para 43 em 2015. “Mas isso não significa redução no tamanho do festival”, explica Castiel, que enfatiza que os espetáculos estão fazendo temporadas maiores. Apesar da proximidade do início, o orçamento ainda está em fase de captação: são R$ 2,5 milhões via Lei Rouanet. Deste total, apenas R$ 900 mil estão garantidos.

Entre as produções que estreiam no festival, além de Romeu e Julieta, estão Cadarço de sapato ou ninguém está acima da redenção, da Cia. Teatrofídico, inspirado no universo da dramaturga inglesa Sarah Kane; Del Puerto 15 anos convida La Truco, com a bailarina internacional; e o Universo mágico, com Alex Meyer; além do stand-up Só para mulheres, de Ângela Dip.

Também integram a grade espetáculos que fizeram uma importante trajetória neste ano, como Até o fim, com direção de Zé Adão Barbosa e João Carlos Castanha interpretando a si mesmo; GPS Gaza, com direção de Camila Bauer e atuação de Deborah Finocchiaro e Sandra Dani; Anjo da guarda, com direção de Paulo Guerra e texto de Franz Keppler; Os homens do triângulo rosa, da Cia. Teatro ao Quadrado; e Como sobreviver ao fim do mundo, vencedor do prêmio revelação de melhor atriz (Catharina Conte) e melhor direção (Kevin Brezolin); além do espetáculo de dança Torres-Piazzolla, entre sueños & realidade.

'A comédia dos erros', direção de Adriane MottolaVilmar Carvalho

‘A comédia dos erros’, da Stravaganza, é opção

Estão na grade também produções que costumam levar grande público ao teatro, como Homens de perto 2, Pois é vizinha…, Se meu ponto G falasse, Inimigas íntimas, Cris Pereira ponto show, Guri de Uruguaiana e Bailei na curva.

Além disso, haverá uma programação paralela, que envolve “Segundas literárias”, um bate-papo com escritores aberto ao público na Saraiva do Praia de Belas; “Terças Alegres”, projeto gratuito da Fundação Iberê Camargo destinado às crianças; e o “Cinesig”, promovido pela Associação Psicanalítica Sigmund Freud, com exibição de filme e debate.

“Quando pensamos em fazer o festival, há 16 anos, só tínhamos a ideia de trabalhar no verão. De uma certa maneira, o evento mudou o hábito da cidade – pode-se chamar a capital de ‘Forno Alegre’, mas ninguém diz que não tem nada cultural para fazer”, conta Castiel, que comenta receber material de espetáculos de outros estados. “Este festival é para profissionais do Rio Grande do Sul, não é ser bairrista, é uma questão de reserva de mercado”, enfatiza.

A venda de ingressos começa dia 5 de janeiro e segue com o mesmo valor de 2014: R$ 25,00 (antecipado) e R$ 30,00 (no teatro). Além dos pontos de venda tradicionais, informações sobre meia-entrada e descontos nos ingressos estão no site, aqui.

.:. Publicado originalmente no Jornal do Comércio, caderno Panorama, p. 1, em 22/12/2014.

Michele Rolim

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados