No espetáculo da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, a fotografia capturada “em percurso” pode apresentar uma inversão de papéis entre espectador e cena, entre sujeito e objeto, fotógrafo e fotografado. Todos podem ver e ser vistos. Assim, nos vemos representados (e representando) o espírito coletivo da luta feminina sobre as estruturas sociais arbitrárias e coercitivas. As imagens correspondem à sessão realizada em setembro de 2016 na Fortaleza da Barra, em Santos, no âmbito do Mirada – Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas.