Menu

Autoria

Jornalista e mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Desenvolve pesquisa em torno do tema curadoria em festivais de artes cênicas. É a repórter responsável pelo setor de artes cênicas do Jornal do Comércio, em Porto Alegre (desde 2010). Participou dos júris do Prêmio Açorianos de Teatro, do Troféu Tibicuera de Teatro Infantil (ambos da Prefeitura de Porto Alegre) e do Prêmio Braskem em Cena no festival internacional Porto Alegre Em Cena. É crítica e coeditora do site nacional Agora Crítica Teatral e membro da Associação Internacional de Críticos de Teatro, AICT-IACT (www.aict-iatc.org), filiada à Unesco). Por seu trabalho profissional e sua atuação jornalística, foi agraciada com o Prêmio Açorianos de Dança (2015), categoria mídia, da Secretaria de Cultura da Prefeitura de Porto Alegre (2014), e Prêmio Ari de Jornalismo, categoria reportagem cultural, da Associação Rio Grandense de Imprensa (2010, 2011, 2014).

Artigo

Foto: Celso Pacheco

Pensamento curatorial em processo

10 de outubro 2016 |
por Michele Rolim • Porto Alegre

A função do curador na área de artes cênicas parece, para muitos, incluindo os próprios curadores, imprecisa. Apesar da multiplicação de festivais e mostras de artes cênicas, o termo curadoria ainda é polêmico e está em construção. Na etimologia da palavra, “curare” significa cuidar. O termo é utilizado amplamente nas artes visuais. Para o professor e crítico de arte Roberto Teixeira Coelho (2012), originalmente designava o processo de organização e montagem da exposição pública de um conjunto de obras de um artista ou conjunto de artistas. Leia mais

Artigo

Foto: Pedro Isaias Lucas

O percurso feminista do Ói Nóis Aqui Traveiz

20 de agosto 2016 |
por Michele Rolim • Porto Alegre

Nos últimos anos, questões relacionadas ao feminismo encontram cada vez mais espaços nas criações teatrais. Em Porto Alegre (RS), a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz vem se dedicando, ao longo da sua trajetória, a trabalhos que flertam diretamente com essa temática. Leia mais

Reportagem

Foto: Adriana Marchiori

É tempo de teatro no verão gaúcho

08 de janeiro 2016 |
por Michele Rolim • Porto Alegre

Já está aberta a venda de ingressos para o Porto Verão Alegre, que irá ocorrer entre os dias 9 de janeiro e 14 de fevereiro. A 17ª edição apresenta mais peças que no ano passado – são 57 (em 2015 foram 43 atrações), sendo que 28 delas não fizeram parte da grade de 2015 e seis são estreias. Leia mais

Crítica

Foto: Lisa Roos

A transição familiar da Cia. Teatro Novo

30 de dezembro 2015 |
por Michele Rolim • Porto Alegre

No seu aniversário de 4 anos, Karen Radde (hoje com 42 anos) disse: “Meu pai um dia irá morrer, mas com o Teatro Novo isso nunca vai acontecer, porque vou continuar cuidando dele”. Desde então, 38 anos se passaram e, tal qual um vaticínio, a promessa de Karen se cumpriu: agora seu pai, Ronald Radde, criador de uma das mais importantes companhias gaúchas Leia mais

Reportagem

Foto: Cristine Rochol

Celebrando as formas animadas

13 de novembro 2015 |
por Michele Rolim • Porto Alegre

Falar da história da Cia. Gente Falante é também resgatar mais de duas décadas do teatro de formas animadas. Referência no Rio Grande do Sul, a companhia é formada por Paulo Martins Fontes, também fundador, e Eduardo Custódio. O percurso traçado por eles está reunido no livro Cia. Gente Falante – história, processos e perspectivas Leia mais

Reportagem

Foto: Fernando Pires

Escuta e ficção de si

29 de outubro 2015 |
por Michele Rolim • Porto Alegre

O exercício de escuta na contemporaneidade nunca foi tão necessário, pois vive-se em uma sociedade no qual os problemas de comunicação têm desastrosas consequências para todas as relações. De olho neste dilema, a atriz Luciana Paz (ex-integrante do grupo Falos & Stercus) realiza o projeto Três direções para escuta – 10 anos de CPTA: Centro de Pesquisa Teatral do Ator. Leia mais

Reportagem

Foto: Gilberto Perin

‘Eu’, Suzana Saldanha

17 de outubro 2015 |
por Michele Rolim • Porto Alegre

A placa na parede do apartamento de Suzana Saldanha com a frase ‘o segredo do sucesso é começar novamente’ descreve um pouco de como a sua vida tem sido. Depois de 30 anos morando e trabalhando no Rio de Janeiro, a atriz, diretora e professora de 69 anos volta a atuar nos palcos de Porto Alegre com o solo Eu. Leia mais

Desenvolvido por: Reppublica