A proliferação do teatro de grupo

escrito por vals em 9 de outubro de 2012 – 10:48 -

(breve artigo originalmente publicado na revista Bravo! deste mês, sob mote dos ‘Fatos mais relevantes da cultura brasileira nos últimos 15 anos’)

O teatro brasileiro viu crescer nos últimos 15 anos os espetáculos criados e produzidos em grupo. Isso evidencia uma admirável disposição dos artistas para a pesquisa permanente de conteúdos e formas de expressão. Em geral, o teatro de grupo possui ambições diferentes daquele com elencos avulsos, arregimentados por um diretor ou produtor, que prioriza o entretenimento convencional e a casa cheia.

Há três décadas coordenando o Centro de Pesquisa Teatral no Sesc-SP, o diretor Antunes Filho figura entre os precursores dessa tendência, que seduz cada vez mais a crítica e o público. Hoje, o fenômeno dos coletivos se espalha não só por São Paulo, onde se destaca o Teatro da Vertigem, mas também por cidades como Rio de Janeiro (Companhia dos Atores), Belo Horizonte (Galpão), Porto Alegre (Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz), Curitiba (Companhia Brasileira de Teatro) e Campinas (Lume). Read more »

Subscribe to my RSS feed

Isso te interessa?

escrito por vals em 14 de julho de 2012 – 11:42 -

Giovana Soar e Ranieri Gonzalez na peça de Noëlle Renaude


(Publicado originalmente no site da revista Bravo!, neste julho)

Quando mil palavras valem mais

Espetáculo em São Paulo valoriza o plano da linguagem para tratar das disfunções de uma família ao longo de gerações

Uma das belezas de ser espectador de teatro nos dias de hoje é deparar com artistas que ousam subverter as estruturas do drama essencialmente no plano da linguagem, sem baratear o gênero ou apagar o prazer de acompanhar uma boa história. É o que faz Isso te interessa?, a montagem de Bon, Saint-Cloud, da francesa Noëlle Renaude, que a Companhia Brasileira de Teatro introduz no país e está em temporada no Sesc Belenzinho, em São Paulo. Read more »

Subscribe to my RSS feed

Curitiba – Oxigênio

escrito por vals em 6 de abril de 2011 – 14:51 -

Patrícia Kamis e Rodrigo Bolzan na obra da Companhia Brasileira de Teatro

O grande teatro do mundo cabe em Oxigênio. O autor russo Ivan Viripaev, de 36 anos, liquefaz um bloco maciço de ideias sobre a desordem global ao mesmo tempo em que mantém a chama acesa sobre uma história de amor trágica e, como todas, inevitavelmente ridícula. Macro e micropolíticas do poder bailam sobre as cabeças de Sacha, ele, e Sacha, ela, amantes narradores, pacifistas, guerrilheiros, seres instigados pelos poros e levados às últimas consequências – leiam-se contradições – no texto do autor inédito entre nós e na montagem de Marcio Abreu dentro da Companhia Brasileira de Teatro, sua sede no centro velho de Curitiba, no Largo da Ordem. Read more »

Subscribe to my RSS feed

Para arriscar-se no Fringe

escrito por vals em 9 de março de 2011 – 15:34 -

Caio Rodrigo é Verlaine em Pólvora e poesia, por Guerreiro, de Salvador

Elenco 19 criações inéditas para este espectador e que estarão em cartaz no Fringe do Festival de Curitiba, de 30 de março a 10 de abril. O teatro de pesquisa é o norte. Históricos de núcleos que acompanho, parcerias artísticas e intuições guiam-me a conhecer outras geografias e modos de fazer e produzir pelo Norte e Nordeste. São algumas referências entre as cerca de 370 montagens da mostra paralela vindas de 19 Estados e Distrito Federal, conforme a organização. No post anterior, menciono os trabalhos que já assisti. Read more »

Subscribe to my RSS feed