Mungunzá e Baskerville no circo da vida de Aglaja

escrito por vals em 18 de maio de 2010 – 18:32 -

Companhia Mungunzá de Teatro

A atriz Sandra Modesto em Por que a criança cozinha na polenta, direção de Nelson Baskerville para romance homônimo da romena Aglaja Veteranyi, com a Companhia Mungunzá Foto: Gabriel Kassrik


Em setembro de 2009, durante o Festivale, o Festival de Teatro do Vale do Paraíba, em São José dos Campos, escrevi uma crítica sobre Por que a menina cozinha na polenta, um espetáculo da Companhia Mungunzá de Teatro, de São Paulo, adaptado e dirigido pelo ator Nelson Baskerville.

Já assistira à montagem na primeira temporada em São Paulo, meses antes, no Teatro da Memória, e sai perturbado, no bom sentido, pela qualidade da investigação do projeto e por ser apresentado à história de cunho autobiográfico da romena Aglaja Veteranyi, filha de artistas de circo, poeta, professora de artes cênicas imigrante na Suíça e que pôs fim à vida em 2002, um ano depois do romance vir a público.

Retomo a crítica na sessão contracena por conta da nova temporada às terças-feiras no Espaço parlapatões (últimas sessões hoje e dia 25, sempre 21h). Read more »

Subscribe to my RSS feed

Variações sobre Célia Helena

escrito por vals em 13 de maio de 2010 – 8:45 -

Revista Olhares

Imagem do arquivo pessoal da atriz Cleyde Yáconis estampa a capa de Olhares, uma publicação da Escola Superior de Artes Célia Helena >> Reprodução


Prestes a completar 33 anos de atividades, uma das referências na formação de ator em São Paulo, o Célia Helena Teatro-escola recém incorporou a Escola Superior de Artes Célia Helena. No plano editorial, essa transição é representada pelo lançamento de uma revista voltada às artes cênicas.

Olhares chega com o desejo de fomentar o pensamento sobre o teatro, sua história, a produção de seu tempo e, sobretudo, abordar questões relativas à pedagogia do ator, conforme explica a sua editora e diretora artística da instituição, a atriz Lígia Cortez.

A noite de lançamento é nesta quinta-feira, dia 13, na Livraria Cultura. A cada número, Olhares trará um editor convidado. Quem responde pela primeira edição é o professor e pesquisador da USP Luiz Fernando Ramos, crítico da Folha de S.Paulo. A capa estampa Cleyde Yáconis em preto e branco, cujo perfil é assinado pelo ator, dramaturgo e jornalista Oswaldo Mendes, autor de biografias de Plínio Marcos e Ademar Guerra. A atriz de 86 anos dispõe fotos de seu arquivo pessoal, da capa às páginas finais, uma beleza imutável de fazer par à irmã Cacilda Becker. Read more »

Subscribe to my RSS feed

Ode a Reinaldo Maia

escrito por vals em 2 de maio de 2010 – 13:08 -

Convite Teatro reunido, de Reinaldo Maias e Grupo FoliasFaz dez anos que o Galpão do Grupo Folias mantém atividades no bairro de Santa Cecília, sob o Minhocão, na Rua Ana Cintra, região central de São Paulo.

Trata-se de uma rua diminuta, um pequeno beco com saídas, para ilustrar a perseverança desses raros artistas que insistem em temporadas de quinta a domingo, como no atual espetáculo Êxodos – O eclipse da terra.

Isso dá a ideia do lugar que esse coletivo – criado há 13 anos – fala no panorama paulista e brasileiro, suas circunscrições política e estética que jamais se anulam.

Na segunda-feira, 3 de maio, a partir das 21h, o espaço abre as portas para lembrar sua primeira década e lançar Teatro reunido, uma edição independente com peças de Reinaldo Maia, morto em abril de 2009, aos 57 anos. Serão lidos poemas inéditos do dramaturgo. Participam a cantora Cida Moreira e a Banda Hamlet, um time formado por Danilo Grangheia, Flávio Pires, Nina Blauth, Lucienne Guedes, Gabriel Carmona, Juoliana Gontijo, Luaa Gabanini, Luís Mármora, Pedro Felício, Daniel Infantini, Aline Santini, Sato, Anna Turra, Carla Stefan, Eugênio Lima, entre outros.

Subscribe to my RSS feed

Maria Thais e Meierhold

escrito por vals em 18 de abril de 2010 – 20:51 -

Voz de Meierhold no livro de Maria Thais, uma criadora que em tudo persegue polifonia:


“Embora o Teatro-Estúdio não tenha aberto suas portas ao público, desempenhou um papel muito importante na história do teatro russo. Podemos afirmar com toda a certeza que tudo o que mais tarde os nossos teatros de vanguarda introduziram em suas encenações, numa excitação nervosa e com uma pressa extraordinária, foi bebido de uma única fonte. E todos os temas que compunham o fundamento das novas interpretações cênicas eram familiares, conhecidos daqueles que vivenciaram a atmosfera criativa do Teatro-Estúdio.”


Diretora da Companhia Balagan (1999), vinculada historicamente à criação da Escola Livre de Teatro de Santo André, parceira pedagógica de Anatoli Vassiliev em Moscou, professora no Departamento de Artes Cênicas da ECA-USP, à frente de atividades em andamento no Sesi e no Tusp, a baiana e tenaz Maria Thais dá a ver Na cena do Dr. Dapertutto – poética e pedagogia em V. E. Meierhold, 1911 a 1916 (editora Perspectiva, coleção Estudos, 456 páginas, R$ 60,00).


O lançamento é nesta segunda-feira, Dia do Índio, às 18h30, na Loja de Artes da Livraria Cultura, Conjunto Nacional (Avenida Paulista, 2.073, telefone 11 3170-4033).


Uma noite de abará e vodca, assim a autora e nós esperamos.

Subscribe to my RSS feed