Flagrantes de Santiago

escrito por vals em 14 de fevereiro de 2011 – 17:59 -

“Dicen que el alma se expresa. Dicen que sucede una vez al año”. O slogan da 18ª edição do Festival Santiago a Mil dá margem também a certa obsessão em concentrar tantos espetáculos em 24 horas, tudo ao mesmo tempo agora. Entre os 27 dias, era possível encontrar em cartaz, a cada tarde/noite, de nove a 22 espetáculos de teatro, dança ou música em espaços da Grande Santiago. Por isso a sessão do Otelo de Nekrosius (Lituânia) ter promoção de última hora na base do leve dois e pague um. Tentativa dos organizadores de encher a casa na roleta das opções do catálogo.

O evento teve em sua gênese o chamado teatro independente, articulado por grupos locais, mas transformou-se num grande negócio do entretenimento, talvez o maior orçamento do país: 7,1 milhão de dólares (cerca de R$ 11,8 milhões de reais). Os valores são informados no site, com as devidas cotas de governo (10,31%), iniciativa privada (34,51%), receita publicitária (41,43%), entre outras fatias do bolo – transparência que faria bem aos festivais do Brasil, sejam públicos ou privados. Read more »

Subscribe to my RSS feed

A irresponsabilidade assumida de Raúl Ruiz

escrito por vals em 12 de fevereiro de 2011 – 19:48 -

O cineasta chileno Raúl Ruiz criou espetáculo que abriu festival - foto: Vals

O cineasta chileno de 69 anos criou especialmente para o Festival Santiago a Mil Amledi, el tonto, sua releitura da obra medieval que teria inspirado Shakespeare a escrever Hamlet. Raúl Ruiz funde a fantasia dos contos de fada ao surrealismo na composição algo anárquica da cena. Espirituoso e bem-humorado, ele admite visitar o teatro com mais “irresponsabilidade” que sua maestria na sétima arte supõe em obras-primas como o longa Mistério em Lisboa, prêmio da crítica na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo no ano passado. Leia aqui a entrevista com ele, realizada antes de uma das sessões. Também registro no site o que vi nos nove dias de festival – que durou todo o janeiro -, entre espetáculos do suíço Christoph Marthaler, do chileno Guillermo Calderón, do peruano Miguel Ruibo Zapata e dos argentinos Claudio Tolcachir e Lola Arias.

Subscribe to my RSS feed

Prévias de Santiago

escrito por vals em 13 de janeiro de 2011 – 1:28 -

Atores da produção austríaca Protegerse del futuro, encenação do suíço Christoph Marthaler, destaque do Santiago a Mil - foto: Divulgação

Por aqui, no Festival Internacional de Teatro Santiago a Mil, tento conhecer a cidade que visito pela primeira vez e, é claro, conciliar a programação de espetáculos e atividades reflexivas e formativas nos encontros da Escuela de Espectadores e nas Conversaciones Teatrales. Tais eventos contam com as presenças de criadores, críticos, pesquisadores ou produtores. E sempre são abertos ao público em geral. Read more »

Subscribe to my RSS feed

Galpão e Companhia dos Atores iniciam 2011 no Chile

escrito por vals em 30 de dezembro de 2010 – 11:33 -

Marcelo Olinto, cofundador da Companhia dos Atores, em cena de Ensaio.Hamlet, programada para o Santiago a Mil - foto: Luiz Paulo Nenen

Principal festival internacional de artes cênicas do Chile, o Santiago a Mil recebe dois grupos brasileiros em sua 18ª edição, de 3 a 30 de janeiro: Galpão e Companhia dos Atores, justo eles tangenciados há pouco no longa-metragem Moscou, de Eduardo Coutinho. Os mineiros fazem seis apresentações do espetáculo de rua Till, a saga de um herói torto (2009), uma delas inclusive num estádio municipal, sob dramaturgia de Luís Alberto de Abreu e direção do ator Júlio Maciel. Os cariocas levam um minirrepertório com o seu principal espetáculo na década, Ensaio.Hamlet (2004), encenação de Enrique Diaz, além de três trabalhos do projeto Autopeças (2008): Apropriação, que adapta obra de Harold Pinter sob direção da atriz Bel Garcia, e os solos Bate man, com o ator e figurinista Marcelo Olinto, dirigido por Gerald Thomas, e Talvez, com Alamo Facó, por César Augusto. Read more »

Subscribe to my RSS feed