Fenart – Carta aberta ao palhaço Pirulito

escrito por vals em 29 de maio de 2010 – 8:13 -

O palhaço Pirulito por Ismar Pompeu, da Trupe de Teatro e Circo Pirulito >> Foto: Divulgação

Prezado Pirulito, saudações cênicas,
Foi bom ver o circo contemplado na programação do Fenart. Essas artes têm muito em comum, palco e picadeiro se emendam. E sua Trupe de Teatro e Circo Pirulito indica beber dessa tradição. Pena que o espetáculo Um, dois, três… conto outra vez não faz jus ao conceito de pesquisa que vocês anunciam no final. Pesquisa, com “P”, não daria em apresentação tão mediana e gratuita em algumas soluções, como a de cuspir água sobre mãe com criança no colo. À figura do palhaço não cabe regras, esse homem-bomba do riso, como diria Hugo Possolo, o Tililingo dos Parlapatões, Patifes & Paspalhões. Mas bom senso na relação com o público mirim é o mínimo que se espera do artista. Read more »

Subscribe to my RSS feed

Fenart – O labirinto existencial pesa sobre o lirismo da cena

escrito por vals em 27 de maio de 2010 – 12:22 -

Cena de Entre quatro paredes, adaptação do Grupo Graxa, de João Pessoa, para a peça que Sartre escreveu em 1945 >> Foto: Guto Zafalan

Se o inferno são os outros, estamos condenados a eles. Jean Paul-Sartre encerra essa condição humana de maneira cirúrgica na peça que escreveu em 1945. Em sua versão para Entre quatro paredes, o Grupo Graxa de Teatro tenta desbastar a aura existencial das palavras do filósofo para investir mais na interação física das figuras, que surgem mais assim do que como personagens. É um modo de trazê-las mais próximas do tempo que corre, do ator que é seu veículo em cena, do espectador em limite táctil, sensorial. Read more »

Subscribe to my RSS feed