Menu

Resenha

Foto: Caique Cunha

Silvero Pereira via Gisele Almodóvar

14 de outubro 2016 |
por Mateus Araújo • Recife/São Paulo

O corpo transpassado pela experiência humana, posto como suporte político para o discurso sobre identidade de gênero, faz o ator Silvero Pereira se transmutar. No palco, o cearense, um dos fundadores do Coletivo As Travestidas, transita entre ele e seu alter ego, a travesti Gisele Almodóvar. Transita pelas duas identidades que, na verdade, se fundem em uma só, escritas em gestos e ditas em voz amplificadores de um teatro documental e militante. Leia mais

Resenha

Foto: Kazuo Ohno Archive

As ideias em movimento de Kazuo Ohno

04 de outubro 2016 |
por Dirce Waltrick do Amarante • Florianópolis

É difícil definir a dança butô, que nasceu no Japão nos anos 1950 e recebeu influências do pensamento artístico ocidental e oriental, inclusive com forte trânsito pelo teatro.  Defini-la, como afirma a estudiosa Maura Baiocchi, talvez seja uma preocupação dos ocidentais mais especificamente. A palavra butô em japonês é formada por dois ideogramas: bu (dança) e to (passo).  Leia mais

Resenha

Foto: Arquivo Pessoal/Ivo Bender

O teatro gaúcho do século XIX revivido

26 de julho 2016 |
por Fábio Prikladnicki • Porto Alegre

Durante muito tempo, acreditou-se que a história da dramaturgia produzida no Rio Grande do Sul foi protagonizada por um punhado de nomes esparsos no tempo, como Araújo Porto Alegre (1806-1890), Qorpo-Santo (1829-1883), Álvaro Moreyra (1888-1964), Ivo Bender (1936), Carlos Carvalho (1939-1985) e Vera Karam (1959-2003). Destes, Qorpo-Santo, Moreyra e Carvalho hoje emprestam seus nomes a salas de espetáculo em Porto Alegre, mas não parece haver um continuum entre eles. É nesse contexto que a monumental Antologia da literatura dramática do Rio Grande do Sul (Século XIX), obra em oito volumes escrita pelo pesquisador Antenor Fischer, vem derrubar alguns mitos. Leia mais

Resenha

Foto: Reprodução

A morte é fértil

20 de julho 2016 |
por Fernando Marques • Brasília

O sentido instável, múltiplo, das representações da morte na obra oceânica de William Shakespeare (1564-1616) é o assunto de Shakespeare’s dead (Shakespeare está morto), livro de Simon Palfrey e Emma Smith, professor de Literatura Inglesa e professora de Estudos Shakespearianos, ambos da Universidade de Oxford. Leia mais

Resenha

Foto: Lenise Pinheiro

A presença nas fotos de Lenise Pinheiro

19 de julho 2016 |
por Valmir Santos • São Paulo

O segundo volume de Fotografia de palco absorve o campo molecular da cena. A escala das fisionomias e das materialidades recua um bocado no caráter espetacular, hegemônico no volume inicial, de 2008, e dota a nova antologia de imagens de Lenise Pinheiro de generosas doses de sinestesia. Leia mais

Resenha

Foto: João Julio Mello

Homem-caranguejo, mito e anti-herói

28 de junho 2016 |
por Mateus Araújo • Recife/São Paulo

No texto de apresentação ao livro Caranguejo overdrive, de Pedro Kosovski – recém-lançado pela editora Cobogó –, o diretor Marco André Nunes se lembra de um dos momentos mais simbólicos do processo de construção da premiada montagem que celebrou 15 anos de Aquela Cia. de Teatro (RJ), em 2015: Leia mais

Resenha

Foto: Fernando Pimentel

Contradições (aparentes) de Ripper

24 de junho 2016 |
por Daniel Schenker • Rio de Janeiro

Por meio do livro Luiz Carlos Mendes Ripper: poesia e subversão (Funarte), Heloisa Lyra Bulcão dá continuidade à investigação sobre o trabalho do artista que transitou entre variadas funções no mundo do teatro – notabilizando-se, em especial, nos campos da direção e da cenografia. Há poucos anos, Bulcão apresentou um vasto estudo, intitulado Luiz Carlos Ripper para além da cenografia (De Petrus et Alii). Leia mais

Desenvolvido por: Reppublica