Menu

Publicações com a tag:

“Grupo Tapa"

Assine nossa newsletter

Publicações com a tag:

“Grupo Tapa"

Encontro com o Espectador

Dirigida por Guilherme Sant’Anna e Brian Penido Ross, a montagem de Uma peça por outra, do francês Jean Tardieu (1903-1995), uma crítica em chave lúdica e cômica aos limites da linguagem, integrou a 10ª edição do Encontro com o Espectador, ação do Teatrojornal que propõe um diálogo triangulado entre críticos, criadores e espectadores. Ocorrido no dia 29 de maio de 2017, no Ágora Teatro, em São Paulo, tendo Brian Penido Ross e a atriz Clara Carvalho no centro do debate, esse foi talvez o mais dinâmico dos encontros no que diz respeito à participação da plateia e à amplitude dos temas discutidos. Leia mais

Crítica

Toda arte performática se constitui como processo dinâmico entre entretenimento e eficácia. O argumento é de um dos mais reconhecidos teóricos contemporâneos da performance, o norte-americano Richard Schechner. De acordo com ele, essas duas forças impulsionam desde o rito tribal realizado em torno da colheita ou da guerra, passando pela cena engajada ou pela experimentação radical de linguagem até os musicais da Broadway.

Evidentemente o que se considera eficácia muda ao longo dos tempos e das vertentes. No entanto, ainda na visão de Schechner, em qualquer época, a arte teatral floresce quando essas forças estão presentes em igual medida. Pois é possível dizer que se deve ao equilíbrio entre tais polos a fruição prazerosa proporcionada pelo espetáculo Uma peça por outra, de Jean Tardieu (1903-1995), na montagem do Grupo DasDores de Teatro. Leia mais

Crítica Militante

O Grupo Tapa caminha numa certa contramão em relação ao painel da cena de hoje. Segue apostando no chamado teatro de texto, calcado na relevância da palavra. A montagem de Gata em telhado de zinco quente, atualmente em cartaz no Teatro I do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Rio de Janeiro, confirma a linha de atuação do Tapa, no que diz respeito à escolha de uma dramaturgia de peso (agora, Tennessee Williams), cuja qualidade é realçada diante do público. Leia mais

Crítica Militante

Uma propriedade de luxo feita de trapos. É neste paradoxo que se enredam os nós da família de latifundiários de algodão apresentada por Eduardo Tolentino em sua versão de Gata em telhado de zinco quente, de Tennessee Williams, em cartaz no CCBB do Rio de Janeiro após a estreia paulista. Leia mais

Crítica

Primeiramente, o capitalismo é uma religião puramente cultual, talvez a mais extremamente cultual que já existiu. Nada nele tem significado que não esteja em relação imediata com o culto, ele não tem dogma específico nem teologia. O utilitarismo ganha, desse ponto de vista, sua coloração religiosa.

Walter Benjamin

A encenação de A mandrágora pelo Grupo Tapa abre um apanhado de questões pertinentes ao nosso tempo e lugar. Leia mais

Crítica

Sete gangsters estão cercados pela polícia. Protagonistas de Esplêndidos, peça considerada por Sartre a obra-prima de Jean Genet, eles surpreendem ao surgirem em cena como legítimos cavalheiros. Leia mais

Crítica

Os atores mais calejados do Grupo Tapa são reconhecidos pelo primado da fala. O espectador senta na última fila do teatro e não importa: a dicção traz o colorido firme da palavra para além do que ela imprime. Em As criadas, essa virtude desfila junto com uma acentuada expressão de matriz gestual que valoriza o subtexto. Não se trata do gesto consignado ao corpo – como na dança, no teatro-dança –, mas à atitude farejadora dos inconscientes culturais presentes no drama de Jean Genet (Les bonnes). Leia mais