Menu

Publicações com a tag:

“Kil Abreu”

Artigo

Foto: Adalberto Lima

Transfigurações em ‘Vau da Sarapalha’

08 de novembro 2017 |
por Kil Abreu • São Paulo

Vau da Sarapalha é espetáculo do Piollin Grupo de Teatro. Estreou em 1992 em João Pessoa (PB), fez carreira internacional e foi apresentado em mais de 40 cidades.  É considerada ainda hoje uma das montagens mais importantes quanto a uma aproximação possível do universo de Guimarães Rosa no contexto da cena contemporânea. Esta aproximação, no entanto, tem menos a ver com o respeito aos termos da literatura enquanto tal e mais com a transfiguração, em ato artístico autônomo, da narrativa roseana. Leia mais

Crítica

Foto: Karen Mezza

O Rainha Kong e os novos estandartes

30 de outubro 2017 |
por Kil Abreu • São Paulo

Ó doce irmã, o que você quer mais?
Eu já arranhei minha garganta toda
Atrás de alguma paz.
Agora, nada de machado e sândalo.
Você que traz o escândalo,
Irmã-luz
(Caetano Veloso, Escândalo)

 

Em Belo Horizonte

É sem dúvida um tempo novo. E é do olho do furacão, em uma época de notável violência contra o humano, que o palco brasileiro vai comportando as novas representações que os sujeitos sociais afirmam. A criação coletiva do grupo Rainha Kong para O bebê de tarlatana rosa, conto homônimo do carioca João do Rio (1881-1921), confirma esse raciocínio. Leia mais

Reportagem

Foto: Otávio Cardoso

Uma dor assim pungente

27 de outubro 2017 |
por Valmir Santos • São Paulo

Narrador de 12 anos sai de casa para comprar pão, na periferia leste da cidade, sofre abordagem abusiva de um policial e empreende fuga com fortes tintas de realismo fantástico.  No centro, travestis e prostitutas são igualmente vítimas de perseguição durante a ditadura civil-militar em entrecho documental que não desbotou. Vide o que se passa noutra geografia mais difusa, onde homens e mulheres soam exasperados nos lugares de fala e discursos intolerantes.

As três peças selecionadas no edital da IV Mostra de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos, iniciativa do Centro Cultural São Paulo, pintam uma realidade cortante por meio das formas de violência – as dores físicas e morais – que traumatizam as relações interpessoais e sociopolíticas nos dias de hoje. Leia mais

Encontro com o espectador

Foto: Valmir Santos

Dramaturgias sintéticas

07 de março 2017 |
por Teatrojornal

A dramaturgia contemporânea brasileira foi objeto de debate no 2º Encontro com o Espectador que reuniu, no Ágora Teatro, na noite de 25 de julho de 2016, Cláudia Barral, autora da peça Hotel Jasmim, Paulo Santoro, autor de O teste de Turing e Kil Abreu, curador do projeto Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos, realização do Centro Cultural São Paulo, que premia peças teatrais com montagem e publicação de texto. Leia mais

Crítica

Foto: Daniel Zimmermann/FITUB

Acaso e construção

04 de novembro 2016 |
por Kil Abreu • São Paulo

É na armadilha de uma estrutura artificial que a realidade do tema será aprisionada

 (Francis Bacon, em entrevista a David Sylvester)

 

Em Belo Horizonte

O espetáculo 19:45!, apresentado no Festival Estudantil de Teatro (FETO) é trabalho dos formandos do curso profissionalizante do Centro de Formação Artística e Tecnológica (Cefart) da Fundação Clóvis Salgado. A montagem tem dramaturgia e direção de Rita Clemente, que cumpre a função de artista convidada. Leia mais

Artigo

Foto: Fernando Pires

Observatório do chão para cenas de rua

01 de novembro 2016 |
por Kil Abreu • São Paulo

Em Porto Alegre

Uma crítica específica para o teatro de rua/na rua/na cidade faz sentido? Em que medida as variadas formas do teatro e, neste caso, as diferentes maneiras de habitar espaços pede olhares e atitudes críticas diferenciadas? Que importância teriam estes repertórios e estes discursos específicos em um país no qual o Ministério da Cultura identifica os espaços do teatro contabilizando apenas as salas fechadas e desprezando os lugares públicos abertos em que ele acontece?

Estas, entre outras questões, foram colocadas em movimento durante a oitava edição do Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre Leia mais

Crítica

Foto: Lenise Pinheiro

Luto e beleza

18 de outubro 2016 |
por Kil Abreu • São Paulo

Kiko Marques reapresenta em Sínthia recursos formais experimentados no belo Cais ou Da indiferença das embarcações (2012). Ali já era perceptível a ambição que vai notabilizando o ator e diretor também como um dramaturgo importante na cena de São Paulo. Naquele espetáculo já se desenhava com rigor mais que razoável algumas coordenadas que talvez possam demarcar escolhas e características de estilo: Leia mais

Desenvolvido por: Reppublica