Menu

Publicações com a tag:

“Marcondes Lima”

Crítica

Foto: Divulgação/Angu

Enxerto amoroso

05 de julho 2016 |
por Clarissa Falbo • Recife

São 13 anos do Coletivo Angu de Teatro, cinco espetáculos no repertório e o propósito de apresentar autores pernambucanos na sedimentação de linguagem própria; dramaturgia e modus actuandi. Nossos ossos (2013), romance de Marcelino Freire por ele transposto para a partitura cênica, frente às solicitações do grupo, conforme o Marcelino fictício (André Brasileiro) esclarece no “prólogo”, trata de amor e da dureza do amor Leia mais

Crítica

Foto: Zé Barbosa

‘Em nome do pai’ sobrepõe humor à emoção

18 de maio 2015 |
por Mateus Araújo • Recife/São Paulo

Em nome do pai une dois olhares provocadores: bebe da tragédia edipiana e pinça contextos e conflitos da obra rodriguiana para falar da relação problemática entre pai e filho. O texto de Alcione Araújo (1945-2012) é marcado por ironias, sarcasmos e angústias. Leia mais

Reportagem

Foto: Reprodução da capa do livro 'Marguerite Duras - A life', de Laure Adler/Boris Lipnitzki

Um palco para Marguerite Duras

17 de novembro 2014 |
por Mateus Araújo • Recife/São Paulo

Ceronha Pontes é daquelas atrizes completas. “Ela é uma mulher de textos fortes, você sabe”, resume perfeitamente bem Claudio Kovacic, reconhecido chef de cozinha e recém-estreante diretor de teatro. Daquelas mulheres que tomam o palco com grandiosidade de interpretação e prendem a plateia pela precisão dos gestos e da emoção, Ceronha estreia, hoje (5/11/), uma nova personagem, forte e particular: Marguerite Duras. Trata-se de um encontro poético e apaixonado com a história de vida da escritora e cineasta de origem vietnamita, considerada nome fundamental da literatura do século 20. Leia mais

Crítica

Foto: Rogério Pontes

Ceronha esculpe Camille em seus temores

29 de janeiro 2014 |
por Clarissa Falbo • Recife

O que as loucuras e os medos de uma pessoa dizem sobre quem ela é? Os delírios de Camille Claudel (1864-1943), escultora francesa, aluna e amante de Auguste Rodin (1840-1917), abandonada pelo mestre e internada pelos parentes em um asilo, são a matéria-prima usada pela atriz Ceronha Pontes para esculpir os contornos da personagem. Leia mais

Desenvolvido por: Reppublica