Menu

Publicações com a tag:

“Maria Eugênia de Menezes"

Assine nossa newsletter

Publicações com a tag:

“Maria Eugênia de Menezes"

Encontro com o Espectador

As pesquisas de uma autora, uma atriz e uma diretora se encontraram na criação de Enquanto ela dormia – obra que aborda o abuso sistemático de mulheres por meio de uma história pessoal. O espetáculo foi tema do 13º Encontro com o Espectador, que ocorreu no dia 28 de agosto de 2017, no Ágora Teatro. Na ocasião, a encenadora Eliana Monteiro e a atriz Lucienne Guedes, ambas reconhecidas por suas trajetórias no Teatro da Vertigem, conversaram sob a mediação da jornalista e crítica Maria Eugênia de Menezes. Leia mais

Crítica

A falta é um motor potente. A fome nos faz seguir adiante. A saciedade, não. Quando satisfeitos queremos repouso, descanso. “Todo o sistema em equilíbrio perfeito permanece imóvel”, diz uma das personagens de Árvores abatidas, peça de Krystian Lupa apresentada nesta 5ª edição da MITsp. Leia mais

Crítica

Existe uma ideia cristalizada de musical que se rompe em King size, obra de Christoph Marthaler apresentada na 5ª edição da MITsp. No início dos anos 2000, com a ascensão da versão anglo saxônica do gênero no Brasil, outras possibilidades de teatro musicado caíram em desuso. Leia mais

Encontro com o Espectador

Acompanhe o diálogo editado da 7ª edição do Encontro com o Espectador ocorrida em 30 de janeiro de 2017, no Ágora Teatro, em São Paulo, com o ator Cacá Carvalho e o cenógrafo, figurinista e aqui coordenador artístico Márcio Medina. Eles conversaram com o público e os críticos Welington Andrade, da revista Cult, e Valmir Santos, deste Teatrojornal, em torno do solo A próxima estação – um espetáculo para ler, que cumpriu temporada no Sesc Pinheiros de 10 de novembro a 17 de dezembro de 2016.  Leia mais

Crítica

Os atores parecem manequins. E se portam como tal, com seus gestos endurecidos e artificiais. Na peça de Susanne Kennedy, Por que o Sr. R. enlouqueceu?, nada soa natural. É o estranhamento em grau máximo o que se ambiciona nesse trabalho da companhia alemã Münchner Kammerspiele. Um estranhamento que se dá a partir da banalidade da vida humana. Assistimos a diálogos desse protagonista, o Sr. R, com a família e os colegas de trabalho – falas desprovidas de significado, destinadas apenas a ocupar o vazio. Leia mais

Crítica Militante

A história costuma ser contada a partir do ponto de vista masculino. A história da civilização, do pensamento, das guerras. Esquecemos, muitas vezes, que as macro narrativas que nos acompanham não são neutras, sem gênero. Há um enunciador masculino, branco, vencedor por trás da maior parte dos discursos que reproduzimos. Nesse sentido, Um berço de pedra, obra de Newton Moreno, pode ser lida como uma tentativa de dar voz ao que costumamos alijar do mundo, de ir contra a preponderância do masculino na fabulação. Leia mais

Crítica Militante

Assistir a Homens nas cidades é deparar-se com um mundo em que o feminino não existe. Não são apenas as mulheres que estão de fora dessa peça escrita pelo britânico Chris Goode. É todo um modo de existir no mundo – e de ser – masculino que se descortina quando o espetáculo se inicia. Sob a direção de Francisco Medeiros, Laerte Mello interpreta o monólogo no qual toma o papel de um narrador e passeia por situações diversas. Leia mais