Menu

Nota

Núcleo Bartolomeu é despejado de sua sede

27.11.2014  |  por Valmir Santos

O artistas do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos amanheceram nesta quinta (27/11) com a notícia do despejo de sua sede no bairro paulistano da Pompeia. Às 7h30 um oficial de justiça, acompanhado da Polícia Militar e de um caminhão de mudanças, chegou de surpresa ao galpão da Rua Doutor Augusto de Mirada, 786, para executar a ordem.

Em atividade há 12 anos, o grupo fundado por Claudia Schapira, Luaa Gabanini, Roberta Estrela D’Alva e Eugênio Lima resistia há cerca de um ano à perda do espaço mantido desde 2004. Por meio de advogados, negociava com a Ink Incorporadora, que vai construir um empreendimento residencial no local.

Dentre os vários atos de resistência, o grupo lançou o manifesto em defesa de território artístico-cultural (A Arte de sediar existência), que expõe a pressão da especulação imobiliária sobre os espaços teatrais.

As últimas apresentações do solo Baderna, com Luaa Gabanini, já contracenava com os efeitos da obra no entorno, as paredes arruinadas e a iminência do desmanche.

Em vídeo postado no Facebook, o ator e DJ Eugenio Lima criticou o “aceleramento do despejo” em ação movida pela Ink Incorporadora, procedimento que refletiria a dubiedade do discurso público da empresa que diz negociar com o grupo e, no entanto, apela à “força coercitiva da lei para sobreviver o grande capital”, uma estratégia típica de “concentração de renda”, nas palavras de Lima.

A ação de despejo no espaço do Núcleo Bartolomeu

Há 12 anos o Núcleo Bartolomeu de Depoimentos desenvolve, difunde e cria pesquisas de linguagem a partir da união do teatro épico com o hip-hop, resultando no Teatro Hip-Hop, um conceito pioneiro no Brasil que abre inúmeras possibilidades e campos de ação, dialogando com as tendências e diversidades das manifestações urbanas.

Tendo a palavra, a oralidade, a música e a poesia como fios condutores da pesquisa, o grupo participou dos principais festivais de teatro, entre eles: Cena Contemporânea, Filo e Teatralia (Madrid), e ganhou os prêmios Shell SP na categoria direção musical (Frátria amada Brasil), melhor espetáculo jovem prêmio Coca-Cola FEMSA [Cindi HipHop – Pequena ópera rap] e o Prêmio Governador do Estado de São Paulo de melhor espetáculo (Antígona recortada).

Jornalista e crítico fundador do site Teatrojornal – Leituras de Cena, em 2010. Escreveu em publicações como Folha de S.Paulo, Valor Econômico, Bravo! e O Diário, de Mogi das Cruzes. Autor de livros ou capítulos no campo teatral. Colaborador em curadorias ou consultorias para mostras, festivais ou enciclopédias. Doutorando em artes cênicas pela Universidade de São Paulo, onde cursou mestrado na mesma área.

Relacionados