Menu

Assine nossa newsletter

Folha de S.Paulo

Opostas, solteirona e “operária do lar” extravasam crises no palco

12.3.2005  |  por Valmir Santos

São Paulo, sábado, 12 de março de 2005

TEATRO 

Comédias na cidade exploram o universo feminino


VALMIR SANTOS
Da Reportagem Local

Alzira. A solteirona Alzira, na casa dos 40, mora sozinha. É agressiva, insubmissa. Um dia, mal-humorada, descarrega suas broncas para cima de um vendedor machista que lhe bate à porta.

Friziléia. A “amélia” Friziléia, talvez também na casa dos 40, abriu mão de trabalhar para cuidar do filho, da casa. Onze anos depois do casamento, se dá conta da dependência emocional e econômica do homem que saiu em viagem e com o qual costuma “falar” por meio de bilhetes ou de recados na secretária eletrônica.

Essas mulheres antípodas vão à luta e à cena a partir deste final de semana nos espetáculos “Alzira Power”, peça de Antônio Bivar, de 1969, que não era encenada há 34 anos, e “Friziléia, uma Esposa à Beira de um Ataque de Nervos”, texto recente de Camilo Áttila, autor bissexto, casado há 18 anos com a atriz Elizabeth Savala, que interpreta o monólogo.

“Alzira Power”, dirigida por Jairo Mattos, estréia hoje no teatro Cultura Inglesa – Higienópolis. A produção carioca “Friziléia”, por Luiz Arthur Nunes, faz temporada desde ontem no Bibi Ferreira.

“Friziléia suporta a vida de forma espetacular, com humor, autodeboche. É isso que faz com que ela não se afogue. Existe uma saída, sempre, e cabe a cada um encontrá-la”, diz Savala, 50, sobre sua “operária do lar”.

Não está exatamente sozinha no palco. Ela contracena com personagens “virtuais”, projetados em vídeo: o marido (pelo ator Marcelo Escorel) e a sogra, alter ego de Friziléia, na pele da própria atriz.

Em “Alzira Power”, a protagonista interpretada por Cissa Carvalho Pinto (25 anos de ofício, ex-Macunaíma, de Antunes Filho) impõe sabatina feminista ao vendedor de carros (por César Figueiredo), que tenta “desarmá-la” com artifícios da sedução. Alzira se rebela de acordo com o espírito do final dos anos 60, ainda que não militasse em causas feministas, quando muitos sutiãs foram queimados em praça pública.



Alzira Power
Onde:
Cultura Inglesa – Higienópolis (av. Higienópolis, 449, tel. 3826-4322) 
Quando: estréia hoje, às 21h; sáb., às 21h, e dom., às 19h; até 1º/5 
Quanto: R$ 20 

Friziléia, uma Esposa à Beira de um Ataque de Nervos
Onde:
Bibi Ferreira (av. Brigadeiro Luís Antônio, 931, Bela Vista, tel. 3105-3129) 
Quando: qui. a sáb., às 21h15, e dom., às 18h30; até 29/5 
Quanto: R$ 40 e R$ 50 (sáb.) 

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados