Menu

Assine nossa newsletter

Folha de S.Paulo

Montagem lê “Bartleby”, de Melville, à luz da angústia

28.2.2008  |  por Valmir Santos

São Paulo, quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

TEATRO 

VALMIR SANTOS 
Da Reportagem Local 

Em meados do século 19, o norte-americano Herman Melville (1819-91) escreveu um conto sobre um homem que preferia não… Não fazer, ir, dizer, comer ou qualquer um desses verbos razoáveis da vida. Aliás, não queria ser razoável. 

A narrativa de “Bartleby, o Escriturário” é pertinente ao vazio do homem contemporâneo, que às vezes se vê paralisado diante dos tempos ditos acelerados, na perspectiva da atriz Cácia Goulart. 

Ela protagoniza a terceira versão para teatro do texto de Melville a que São Paulo assiste nesta década, em curta temporada a partir de amanhã no Sesc Paulista. As montagens anteriores foram de Antônio Abujamra (2006) e do Núcleo Bartolomeu (2000).

Goulart, 40, diz que sua concepção para Bartleby relativiza o tom sociológico da relação do escrevente com o perplexo advogado que o contrata (Rodrigo Gaion), mas para quem se recusa a trabalhar. 

São complexas as forças na obra do também autor de “Moby Dick”. A montagem é intimista, 50 espectadores. “O conto e a peça falam ao vazio da nossa época, à angustiante falta de sentido em certos momentos da existência, sem esquecer o bom humor. Vemos o esgotamento e a necessidade de renovação das relações cotidianas”, diz Goulart. 

Dez anos atrás, ela leu a tradução feita pelo dramaturgo espanhol José Sanchis Sinisterra, que centra o conflito nos dois personagens quando originalmente são cinco. Vadim Nikitin traduziu o texto co-dirigido por Joaquim Goulart e Daniela Carmona. 

À frente do Núcleo Caixa Preta, Cácia Goulart foi indicada ao Prêmio Shell São Paulo pela atuação em “Navalha na Carne” (2003) e integrou o elenco de “BR-3” (2006), do Teatro da Vertigem.



Peça: Bartleby 
Onde: Sesc Paulista (av. Paulista, 119, tel. 0/xx/11/3179-3700) 
Quando: estréia amanhã; sex. a dom., às 20h; até 23/3 
Quanto: R$ 20 

Valmir Santos

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados