Menu

Assine nossa newsletter

Reportagem

ATO Cia. Cênica encara Angélica Liddell

6.6.2014  |  por Fábio Prikladnicki

Foto de capa: Adriana Marchiori

Em 2012, uma peça gestada no âmbito universitário estreou no circuito profissional e saiu como grande vencedora do Prêmio Açorianos de Teatro. Com texto do dramaturgo alemão contemporâneo Marius von Mayenburg, O feio levou as categorias de melhor espetáculo, ator coadjuvante (Paulo Roberto Farias) e o prêmio do júri popular (Troféu RBS Cultura). Contando a história de um sujeito que começa a se dar bem na vida profissional e sexual depois de fazer uma plástica, o espetáculo apresentou a ATO Cia. Cênica, criada um ano antes.

Pois a peça retorna a cartaz em duas sessões (quinta, 5/6, e sexta, 6/6, às 20h), dentro do projeto 2 em Ato, no Teatro Renascença, em Porto Alegre, que também traz a pré-estreia do novo trabalho da companhia, O casal Palavrakis (sábado, às 20h, e domingo, às 18h), já exibido no meio universitário em 2013.

Se O feio trazia, em sua gênese, orientação da professora Patrícia Fagundes, O casal Palavrakis conta com orientação de Marta Isaacsson e Mirna Spritzer. A direção ficou a cargo de Mirah Laline e Mauricio Casiraghi, respectivamente. No ano passado, alguns dos integrantes do grupo se graduaram no Departamento de Arte Dramática da UFRGS, mas três deles ainda são estudantes, como lembra Mirah:

“Estamos nos descobrindo como grupo. Não queremos ter um diretor geral. É uma companhia de diretores/atores.”

Mirah identifica elementos em comum entre os dois espetáculos produzidos pelo coletivo:

“Foi um processo natural, que vem de uma investigação de diferentes linguagens e da busca por autores contemporâneos. Os dois espetáculos tratam de um tema urgente, que é a violência.”

O casal Palavrakis foi escrito pela espanhola Angélica Liddell, um dos nomes fortes da dramaturgia atual. A trama mostra um casal que se vê às voltas com o assassinato da filha. Em 2012, o texto ganhou montagem em São Paulo, produzida pelo grupo Teatro Kaus, de Reginaldo Nascimento. Casiraghi, diretor da versão da companhia ATO, explica:

O casal Palavrakis tem uma corporalidade mais contida do que O feio. É um trabalho realizado mais em cima do texto.”

.:. Publicado originalmente no jornal Zero Hora, Segundo Caderno, p. 4, em 5/6/2014.

Ficha técnica:
O casal Palavrakis
Dramaturgia: Angélica Liddell
Direção: Maurício Casiraghi
Elenco: Mariana Rosa e Paulo Roberto Farias
Figurino: Diego Nardi
Iluminação: Lucca Simas
Cenografia: O grupo
Narração em off: Diana Manenti
Trilha sonora pesquisada: Maurício Casiraghi e Manu Goulart
Operação de som: Manu Goulart
Produção: Luciana Tondo

Fábio Prikladnicki

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados