Menu

Assine nossa newsletter

Reportagem

Sarcáustico discute tensões da web em ‘Viral’

22.6.2014  |  por Michele Rolim

Foto de capa: Selma Cristiane

O novo espetáculo do Teatro Sarcáustico, Viral, toma como ponto de partida diversos personagens e situações das obras do norte-americano Chuck Palahniuk, autor do cultuado Clube da luta. A estreia aconteceu na semana passada com duas sessões dentro da mostra de repertório do grupo, na Sala Álvaro Moreyra do Centro Municipal de Cultura, em Porto Alegre.

“O espetáculo surgiu basicamente da reflexão acerca das discussões que temos visto aflorarem na internet, sejam reais ou fictícias, proliferando como vírus descontrolados nas cabeças das pessoas em todo mundo”, revela Daniel Colin. O diretor e ator da montagem destaca o impacto das discussões curtidas e compartilhadas nas redes, sem a procura da veracidade das informações, reforçando relações superficiais. “O projeto vem versar sobre a força destas ideias e sobre o quanto elas podem ser contagiosas. E letais, por que não”?

A dramaturgia da montagem vai apresentando cenas avulsas que vão, pouco a pouco, se entrecruzando na narrativa do espetáculo. O texto é irônico, mordaz e perverso, cujas ideias – do dramaturgo e das personagens – alastram-se e disseminam-se como vírus a contaminar a quem as escuta. Daniel Colin interpreta mais de 10 personagens neste trabalho solo, com direção do próprio em parceria com Denis Gosch.

A escolha de textos do norte-americano surgiu com a leitura de Guts. Colin afirma ter se apaixonado pela linguagem do autor, e a partir daí, a pesquisa de textos em diversos romances de Palahniuk. “Nos deparamos com um universo muito similar àquele com que o Sarcáustico vem trabalhando nos últimos dez anos, repleto de ironia, tabus, personagens bizarros e muito humor negro, politicamente incorreto”. Segundo o ator, as personagens e a escrita de Palahniuk influenciaram a dramaturgia de Viral.

O processo de criação dos personagens foi inspirado em situações de livros do autor, como por exemplo, o rapaz que trabalha em um disque-apoio a suicidas, mas que acaba por incentivá-los a se matar. Os monólogos, escritos por Colin, eram trabalhados com diferentes energias por Denis Gosh, através de improvisações com o ator. “Cada personagem tem uma corporalidade e um gestual específico, criados nestas improvisações”.

A dupla trabalha em parceria na direção pela segunda vez. A primeira foi em Gramado, no projeto Natal Luz, com o espetáculo A fantástica fábrica de natal. “O processo desta parceria foi muito tranquilo e extremamente colaborativo, na qual as presenças de Juliana Kersting (assistente de direção) e da Claudia de Bem (Iluminadora) foram fundamentais na elaboração do espetáculo como um todo. Cada um colaborou no que pode para a construção da peça”, afirmam.

.:. Publicado originalmente no Jornal do Comércio, caderno Panorama, p. 1, em 20/6/2014.

.:. Mais sobre a programação da Mostra Teatro Sarcáustico 10 Anos no blog do grupo, aqui.

Ficha técnica:
Direção e argumento de texto: Daniel Colin e Denis Gosch
Dramaturgia: Daniel Colin
Com: Daniel Colin
Supervisão de dramaturgia: Felipe Vieira de Galisteo
Assistente de direção: Juliana Kersting
Iluminação: Claudia de Bem
Video design: Thais Fernandes
Figurino: Daniel Colin
Sonoplastia: Daniel Colin e Denis Gosch
Design gráfico: Ricardo Zigomático
Produção: Daniel Colin
Realização: Teatro Sarcáustico

Saiba Mais

Sobre o Teatro Sarcáustico

O Teatro Sarcáustico foi fundado em 2004 por formandos do curso de Artes Cênicas da UFRGS. Nestes 10 anos de trabalho continuado, o grupo criou espetáculos ousados e impactantes como os sucessos Wonderland e o que M. Jackson encontrou por lá (Prêmios Açorianos e Braskem em Cena de Melhor Espetáculo e Direção, dentre outros) e Breves Entrevistas com Homens Hediondos (Prêmio Braskem em Cena de Melhor Espetáculo). Em 2014, o Sarcáustico completa 10 anos de pesquisa continuada em artes cênicas, cujo trabalho vem se especializando em espetáculos realizados em espaços não-convencionais, com dramaturgias originais e atmosferas performáticas. O repertório conta com cinco espetáculos adultos, dois infantis, um projeto de performances urbanas e um performance audiovisual-transmídia. O Teatro Sarcáustico atualmente é um dos grupos residentes do projeto “Usina das Artes” (PM Porto Alegre).

.:. Publicado originalmente no Jornal do Comércio, caderno Panorama, p. 1, em 20/6/2014.

Mostra TEATRO SARCÁUSTICO 10 Anos

VIRAL

20 e 21/06 (sex. e sáb), às 20h.

Sala Álvaro Moreyra – Centro Municipal de Cultura – Av. Erico Verissimo, 307

R$ 30,00 (desc. 50% para estudantes, artistas e melhor idade)

Michele Rolim

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados