Menu

Folha de S.Paulo

Opostas, solteirona e “operária do lar” extravasam crises no palco

12.3.2005  |  por Valmir Santos

São Paulo, sábado, 12 de março de 2005

TEATRO 

Comédias na cidade exploram o universo feminino


VALMIR SANTOS
Da Reportagem Local

Alzira. A solteirona Alzira, na casa dos 40, mora sozinha. É agressiva, insubmissa. Um dia, mal-humorada, descarrega suas broncas para cima de um vendedor machista que lhe bate à porta.

Friziléia. A “amélia” Friziléia, talvez também na casa dos 40, abriu mão de trabalhar para cuidar do filho, da casa. Onze anos depois do casamento, se dá conta da dependência emocional e econômica do homem que saiu em viagem e com o qual costuma “falar” por meio de bilhetes ou de recados na secretária eletrônica.

Essas mulheres antípodas vão à luta e à cena a partir deste final de semana nos espetáculos “Alzira Power”, peça de Antônio Bivar, de 1969, que não era encenada há 34 anos, e “Friziléia, uma Esposa à Beira de um Ataque de Nervos”, texto recente de Camilo Áttila, autor bissexto, casado há 18 anos com a atriz Elizabeth Savala, que interpreta o monólogo.

“Alzira Power”, dirigida por Jairo Mattos, estréia hoje no teatro Cultura Inglesa – Higienópolis. A produção carioca “Friziléia”, por Luiz Arthur Nunes, faz temporada desde ontem no Bibi Ferreira.

“Friziléia suporta a vida de forma espetacular, com humor, autodeboche. É isso que faz com que ela não se afogue. Existe uma saída, sempre, e cabe a cada um encontrá-la”, diz Savala, 50, sobre sua “operária do lar”.

Não está exatamente sozinha no palco. Ela contracena com personagens “virtuais”, projetados em vídeo: o marido (pelo ator Marcelo Escorel) e a sogra, alter ego de Friziléia, na pele da própria atriz.

Em “Alzira Power”, a protagonista interpretada por Cissa Carvalho Pinto (25 anos de ofício, ex-Macunaíma, de Antunes Filho) impõe sabatina feminista ao vendedor de carros (por César Figueiredo), que tenta “desarmá-la” com artifícios da sedução. Alzira se rebela de acordo com o espírito do final dos anos 60, ainda que não militasse em causas feministas, quando muitos sutiãs foram queimados em praça pública.



Alzira Power
Onde:
Cultura Inglesa – Higienópolis (av. Higienópolis, 449, tel. 3826-4322) 
Quando: estréia hoje, às 21h; sáb., às 21h, e dom., às 19h; até 1º/5 
Quanto: R$ 20 

Friziléia, uma Esposa à Beira de um Ataque de Nervos
Onde:
Bibi Ferreira (av. Brigadeiro Luís Antônio, 931, Bela Vista, tel. 3105-3129) 
Quando: qui. a sáb., às 21h15, e dom., às 18h30; até 29/5 
Quanto: R$ 40 e R$ 50 (sáb.) 

Jornalista e crítico fundador do site Teatrojornal – Leituras de Cena, em 2010. Escreveu em publicações como Folha de S.Paulo, Valor Econômico, Bravo! e O Diário, de Mogi das Cruzes. Autor de livros ou capítulos no campo teatral. Colaborador em curadorias ou consultorias para mostras, festivais ou enciclopédias. Doutorando em artes cênicas pela Universidade de São Paulo, onde cursou mestrado na mesma área.

Relacionados