Menu

Folha de S.Paulo

Artistas montam musical farsesco em tributo a irmão de José Celso

22.12.2007  |  por Valmir Santos

São Paulo, sábado, 22 de dezembro de 2007

TEATRO 
“Cypriano e Chan-ta-lan ou Folias e Sensações de 1973” é apresentado amanhã 

VALMIR SANTOS
Da Reportagem Local 

Há 19 anos, os artistas do teatro Oficina fazem da data de 23 de dezembro rito para a vida em contraponto à morte do ator, diretor e autor Luis Antônio Martinez Corrêa, irmão de José Celso. Ele foi assassinato a facadas no apartamento do Rio, em 1987.

Tinha 37 anos e acabara de encenar a segunda parte da premiada trilogia “Theatro Musical Brazileiro”. 

É exatamente um roteiro de musical pouco conhecido de Corrêa que ganha leitura “encenada e festejada” às 14h30 de amanhã, na pista do Oficina. 

“Cypriano e Chan-ta-lan ou Folias e Sensações de 1973” é uma parceria de Corrêa com Analu Prestes. Trata-se de um “poema mágico trágico farsesco musical”, afirma Zé Celso, 70, que viu o irmão encenar a obra antes de ser censurada. 

No enredo, o príncipe Cypriano, “menino vampiro” herdeiro do trono da Golconda, busca seu amor, a camponesa Chan-ta-lan, que está desaparecida. É uma viagem apaixonada, à maneira do conto de fadas, com direito a passagens por florestas no país das maravilhas de Alice e pelos jardins suspensos da Babilônia. 

Na trilha, interpretações de José Miguel Wisnik para Vivaldi ou de Celso Sim para um poema de Maiakóvski. Marcelo Drummond e Pascoal da Conceição co-dirigem a leitura. 

Canudos
Na quarta-feira passada, Zé Celso entregou ao ministro Gilberto Gil (Cultura), em Brasília, o pedido de outorga de paisagem cultural às cidades de Quixeramobim (CE), berço de Antônio Conselheiro, e Canudos (BA), local da guerra no final do século 19.

Euclydes da Cunha retratou o conflito em “Os Sertões”, obra que a companhia Oficina Uzyna Uzona levou à cena, em cinco partes. 

O Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) acolheu o processo que deve reforçar a preservação dos territórios.



Cypriano e Chan-ta-Lan ou folias e sensações de 1973
Quando:
amanhã, às 14h30 
Onde: teatro Oficina (r. Jaceguai, 520, tel. 3106-2818) 
Quanto: R$ 5 

Jornalista e crítico fundador do site Teatrojornal – Leituras de Cena, em 2010. Escreveu em publicações como Folha de S.Paulo, Valor Econômico, Bravo! e O Diário, de Mogi das Cruzes. Autor de livros ou capítulos no campo teatral. Colaborador em curadorias ou consultorias para mostras, festivais ou enciclopédias. Doutorando em artes cênicas pela Universidade de São Paulo, onde cursou mestrado na mesma área.

Relacionados