Menu

Folha de S.Paulo

Curitibana Vigor Mortis monta 1ª peça em SP

9.1.2008  |  por Valmir Santos

São Paulo, quarta-feira, 09 de janeiro de 2008

TEATRO 
Diretor funde vídeo, HQ e suspense “grand-guignol” 

VALMIR SANTOS
Da Reportagem Local 

“Graphic” é o espetáculo com o qual a Companhia Vigor Mortis, de Curitiba, visita São Paulo pela primeira vez. Formada há dez anos, ela quer representar em cenas e imagens o que o seu diretor e fundador, Paulo Biscaia Filho, 38, postula como um teatro de forte narrativa visual. 

Suas principais artérias são o vídeo e as histórias em quadrinhos. Mas a base vem do “grand-guignol”, o gênero de terror e suspense que fez sucesso na Paris da virada do século 19 para o 20. Biscaia Filho fez mestrado numa universidade britânica sobre esse estilo de escrever, atuar e encenar que conjuga naturalismo e violência explícita, tema de palestra gratuita que realiza hoje, às 19h, no Centro Cultural São Paulo (sala de debates). 

Não por acaso, a Vigor Mortis tem em seu currículo inicial peças sobre serial killers como o mineiro Febrônio Indio do Brasil, que até tatuava suas vítimas nos anos 1920. 

No mesmo CCSP, começa amanhã a temporada da tragicomédia “Graphic”, escrita pelo diretor -indicado em 2007 a melhor autor no Prêmio Shell. 

Um sujeito que desenha para manuais, uma executiva de finanças que criou fanzines no passado e uma artista de rua que trabalha com estêncil são os tipos que disputam vaga de quadrinista profissional numa grande editora: mote para frustrações, anseios e uma morte. “É uma peça fortemente calcada em personagens, não perdemos de vista o desenvolvimento narrativo”, afirma o diretor Biscaia Filho. 

“Graphic” (2007) decorre da montagem anterior, “Morgue Story – Sangue, Baiacu e Quadrinhos” (2004), que reativou os ânimos do diretor e firmou um coletivo de trabalho. 

Em março, a Vigor Mortis estréia “Hitchcock Blonde”, do inglês Terry Johnson, na mostra oficial do Festival de Curitiba. E, em novembro, deve lançar a versão de “Morgue Story” para o cinema, um longa.



Peça: Graphic 
Onde: Centro Cultural São Paulo (r. Vergueiro, 1.000, tel.: 3383-3400) 
Quando: estréia amanhã, às 21h; qui. a sáb., às 21h; dom., às 20h. Até 30/1 
Quanto: R$ 15 

Jornalista e crítico fundador do site Teatrojornal – Leituras de Cena, em 2010. Escreveu em publicações como Folha de S.Paulo, Valor Econômico, Bravo! e O Diário, de Mogi das Cruzes. Autor de livros ou capítulos no campo teatral. Colaborador em curadorias ou consultorias para mostras, festivais ou enciclopédias. Doutorando em artes cênicas pela Universidade de São Paulo, onde cursou mestrado na mesma área.

Relacionados