Menu

Crítica

‘À deriva’ mais apazigua que desvia

29.8.2013  |  por Valmir Santos

Foto de capa: Júnior Aragão/Cena 2013

O branco dominante na cobertura de lona é como uma tela preenchido pelas memórias e invenções dos sete criadores-pesquisadores. Nesse ambiente intimista, com os espectadores sentados rente às quatro paredes da casa simbólica erguida nos jardins do CCBB-DF, o espetáculo À deriva, do Teatro do Instante, aninha fragmentos de um possível corpus cênico que ainda não se divisa.

É como se faltasse uma âncora (ou umas) nessa navegação por microcosmos díspares. Longe de se reivindicar a unidade, a percepção é de que boa parte dessas células conjugadas sob dramaturgia de Jonathan Andrade, em processo colaborativo, e direção de Giselle Rodrigues (convidada do núcleo de dança baSiraH) carrega imagens verbais e gestuais ainda ilhadas. Seus campos de ação se tocam e não se interpenetram.

Atriz Alice Stefânia, do grupo Teatro do Instante (DF)

As narrativas sobre a autoafirmação diante da cobrança dos outros, o pragmatismo dos dias e das horas autômatos e as reminiscências da infância bucólica são as mais bem resolvidas em suas idas e vindas. Mas carecem de contágio, e mais aos outros novelos, para transpor o verniz das impressões contemplativas, poeticamente edulcoradas pela plasticidade dos movimentos, dos figurinos outonais, dos objetos e adereços vintage.

O olho do furacão sensorial encontra-se amortecido no carrossel dessas histórias frequentemente elusivas. Um pouco mais de arrebentação, de águas revoltas, poderia fazer o espetáculo brasiliense girar com a voltagem que os artistas cogitaram ao escavar suas biografias e ficções. Por enquanto, o espectador vai embora com a sensação de que a vivência mais apazigua que desvia.

>> O jornalista viaja a convite da organização do 14º Cena Contemporânea – Festival Internacional de Teatro de Brasília.

Ficha técnica

Elenco: Alice Stefânia, Cristiano Gomes, Diego Borges, Mônica Mello, Rachel Mendes, Raquel Feitosa, Rita de Almeida Castro

Direção: Giselle Rodrigues

Dramaturgia: Jonathan Andrade

Música e sonoplastia: Jesuway Leão e Omar Amor

Projeções: Carlos Praude

Iluminação: Carlos Praude e Diego Borges

Colaborador: André Amaro

Produção: Caixote Produções

Jornalista e crítico fundador do site Teatrojornal – Leituras de Cena, em 2010. Escreveu em publicações como Folha de S.Paulo, Valor Econômico, Bravo! e O Diário, de Mogi das Cruzes. Autor de livros ou capítulos no campo teatral. Colaborador em curadorias ou consultorias para mostras, festivais ou enciclopédias. Doutorando em artes cênicas pela Universidade de São Paulo, onde cursou mestrado na mesma área.

Relacionados