Menu

Assine nossa newsletter

Nota

Teatro Máquina apresenta ‘Ivánov’ no CIT-Ecum

3.5.2014  |  por Teatrojornal

O grupo Teatro Máquina, de Fortaleza, faz curta temporada gratuita neste fim de semana no CIT-Ecum de São Paulo com o espetáculo Ivánov, de Anton Tchekhov (1860-1904). A peça escrita em 1897 conta a história de um homem ensimesmado com seus conflitos interiores. Exposto ao amor da esposa doente e à paixão fulminante por uma jovem, o protagonista, inerte e sem fé, se ocupa com descrições frias dos acontecimentos. Conversas vazias e diálogos sobrepostos criam o clima de não-comunicação e renúncia que deflagram a decadência da aristocracia rural e antecipam a atmosfera revolucionária russa da virada do século XIX.

“A montagem do Teatro Máquina coloca Ivánov diante de sua floresta devastada e de uma realidade desesperada. Sua renúncia à vida nos afeta e atualiza o drama tchekhoviano, para refletirmos sobre nosso tempo”, afirma a diretora Fran Teixeira. “Nossa encenação desenvolve as investigações já em curso sobre práticas de não-representação, demonstração, desdramatização e exame de situações. Para o desenvolvimento desse trabalho, realizamos trocas com grupos do interior do Ceará (Arte Jucá, de Arneiroz e Oficarte, de Russas) e com o grupo paraibano Piollin, a fim de encontrar cocriadores e fomentar encontros entre grupos, em uma ação política.”

Edivaldo Batista e Aline Silva na obra cearense

Fazem parte do processo colaborativo de criação de Ivánov os atores Aline Silva, Ana Luiza Rios, Edivaldo Batista, Levy Mota, Márcio Medeiros e Loreta Dialla, com música original de Ayrton Pessoa Bob, cenografia de Frederico Teixeira, figurinos de Diogo Costa e desenho de luz de Walter Façanha, entre outros profissionais.

Em 11 anos de história, o Máquina tornou-se referência do teatro de pesquisa continuada na capital cearense. O núcleo orienta-se por princípios formais de composição que encontra especialmente na exploração do gesto, em sua construção, definição e decupagem, e na noção expandida de narração, como contraponto aos elementos dramáticos. Perspectivas apontadas em obras como Quanto custa o ferro? (2003), Leonce + Lena (2005) e O Cantil (2008).

Mais informações sobre as sessões de Ivánov de 2 a 4 de maio no CIT-Ecum, aqui.

.:. O site do grupo Teatro Máquina, aqui.

Quer receber mais artigos como este? Então deixe seu e-mail:

Relacionados