Menu

Folha de S.Paulo

Comédia humaniza Deus diante dos problemas de Suas criações

8.10.2007  |  por Valmir Santos

São Paulo, segunda-feira, 08 de outubro de 2007

TEATRO 
“O Grande Criador”, de hoje a quarta, faz piada até com origem de Adão e Eva 

VALMIR SANTOS
Da Reportagem local 

Se Deus criou o homem a sua semelhança, então isso deve dar um trabalho danado. Pelo menos na perspectiva cômica da companhia teatral portuguesa Chapitô, que apresenta “O Grande Criador”, de hoje a quarta, no palco principal do Sérgio Cardoso, na Bela Vista. 

A criação coletiva, que estreou em Lisboa há dois anos, pretende conceber um retrato “humanizado” de Deus, confrontando-O com os problemas da evolução. 

Afinal, Ele criou Adão e Eva ou simplesmente trombou com o casal paradisíaco? Será que a falta de espaço na Arca de Noé foi o verdadeiro motivo para a extinção dos dinossauros? 

Partindo de motes assim, os atores Jorge Cruz, José Carlos Garcia e Rui Rebelo desdobram-se em tipos e situações, independente de crenças -o budismo e as razões da ciência também entram na dança. “O Grande Criador” é a terceira parte da “trilogia de reciclagem”, projeto que, desde 2002, montou “Dom Quixote” e “Talvez Camões”, sempre com direção de John Mowat. 

Nascido em 1996, o grupo identifica-se com a linguagem do teatro do gesto, aquele que articula outros elementos de cena no mesmo plano do texto, como a expressão corporal, a música, os recursos visuais. 

O Chapitô tem sede na capital portuguesa. Além de produzir espetáculos, constitui um centro de formação artística. 

A sua turnê integra a série Cena Estrangeira, da Secretaria Estadual da Cultura, que inclui o Sérgio Cardoso no roteiro de espetáculos em parceria com o Núcleo Internacional dos Festivais de Artes Cênicas do Brasil. 

Na seqüência, “O Grande Criador” vai ao Riocenacontemporânea. 



O Grande Criador
Quando: hoje, amanhã e qua., às 21h 
Onde: teatro Sérgio Cardoso (r. Rui Barbosa, 153, Bela Vista, tel. 3288-0136)
Quanto: R$ 10

Jornalista e crítico fundador do site Teatrojornal – Leituras de Cena, em 2010. Escreveu em publicações como Folha de S.Paulo, Valor Econômico, Bravo! e O Diário, de Mogi das Cruzes. Autor de livros ou capítulos no campo teatral. Colaborador em curadorias ou consultorias para mostras, festivais ou enciclopédias. Doutorando em artes cênicas pela Universidade de São Paulo, onde cursou mestrado na mesma área.

Relacionados