Menu

Assine nossa newsletter

Crítica Militante

Um projeto brasil, mesmo que grafado com iniciais minúsculas, é um projeto impossível. É tarefa inexecutável abarcar, ainda que poeticamente, as forças múltiplas e contraditórias que mobilizam os muitos discursos existentes sobre Brasil Leia mais

Crítica Militante

Em Paris

E a deusa Afrodite desce dos saltos da imortalidade à procura de amor.  Busca um amor de natureza bastante particular. O que a move é a atração pelo desprezível, pela sujeira, pela indiferença. Em Phèdre(s), mais recente incursão teatral do encenador polonês Krzyszstof Warlikowski, a deusa opta por encarnar-se mulher, (des)humanizando-se na pele de Fedra. Leia mais

Crítica

A realidade é o pilar estrutural de Pessoas sublimes, segundo espetáculo da Trilogia das Pessoas realizado pela Cia. de Teatro Os Satyros. Como em Pessoas perfeitas – primeira montagem, que venceu o Shell de melhor texto e o APCA de melhor espetáculo de 2014 –, a peça escrita pelos fundadores Rodolfo García Vázquez, diretor, e Ivam Cabral, ator chave do grupo, é fruto de Leia mais

Crítica

Uma lua negra paira suspensa sobre a cena de Fantasmas, novo espetáculo da Companhia Club Noir adaptado do clássico homônimo de Henrik Ibsen. Leia mais

Entrevista

Liberdade. Esta foi a única indicação dada pelo autor e encenador norte-americano Richard Foreman, de 78 anos, para Lenerson Polonini, diretor responsável pela estreia de seu trabalho no Brasil. “Gostaria que você fizesse algo completamente diferente do que eu faço com meu texto. Te dou toda liberdade para isso”, instigou o papa do teatro de vanguarda dos EUA. Leia mais

Crítica

O que é felicidade para você? Para o anti-heroi de O capote, marco da literatura russa do século XIX escrito por Nikolai Gógol, é um sentimento primitivo, que antecede a formação da sociedade. Leia mais

Crítica

Em Avignon

O personagem-título da obra Shakespeariana Ricardo III, grande destaque do Festival de Avignon este ano [a 69ª edição na cidade do sul da França termina no sábado, 25], encenado pelo alemão Thomas Ostermeier, desfila sobre o palco seus defeitos como atributos. Leia mais