Menu

Publicações com a tag:

“Festival de Curitiba”

Crítica

Foto: Nilton Russo

Figuras sem rosto num mundo claustrofóbico

13 de abril 2017 |
por Daniel Schenker • Rio de Janeiro

Chão de pequenos, montagem da Companhia Negra de Teatro, de Belo Horizonte, apresentada no Festival de Curitiba, é estruturada a partir da conciliação de procedimentos contrastantes: a concretude dos depoimentos em off sobre a problemática da adoção e a movimentação poética dos atores que dimensiona, sem reiterar, o desamparo dos personagens, dois meninos, um negro e um branco, confinados, à espera de uma família que os acolha. Leia mais

Crítica

Foto: Lina Sumizono

Mover-se em contraste e aproximação

09 de abril 2017 |
por Daniel Schenker • Rio de Janeiro

Em Ficção, uma das criações anteriores da Cia. Hiato, os atores do grupo realizaram solos nos quais trouxeram à tona determinados aspectos de suas vidas. Na frente do público, de um conjunto de estranhos, revelaram questões íntimas de maneira direta. Diante desse material assumidamente confessional, o título provocava, de início, uma sensação de contraste, mas sintetizava, com precisão, o sumo do projeto: a percepção de que a evocação da própria história implica numa ficcionalização, na medida em que não há como acessar de modo imparcial os acontecimentos como se deram, mas “tão-somente” como foram introjetados por aqueles que passaram pelas experiências. Os atores não apresentavam os fatos puros, e sim uma versão deles (portanto, uma ficção).

Amadores, novo trabalho do grupo conduzido por Leonardo Moreira e incluído na Mostra Oficial do Festival de Curitiba, confirma o apreço pelo depoimento pessoal. Leia mais

Crítica

Foto: Humberto Araujo

Contemporaneidade nostálgica

12 de abril 2016 |
por Daniel Schenker • Rio de Janeiro

Fim de jogo, encenação de Isabel Teixeira para a peça de Samuel Beckett que integrou a Mostra Oficial da última edição do Festival de Curitiba, coloca o público diante de extravasamentos. De início, há indicações concretas. A montagem é destinada a um número reduzido de espectadores, que ficam confinados num determinado cômodo. Isabel Teixeira, porém, explode algumas delimitações. Leia mais

Crítica

Foto: Kelly Knevels

Entre o conformismo e a idealização

04 de abril 2016 |
por Daniel Schenker • Rio de Janeiro

O aspecto mais evidente em Artista de fuga – nova montagem de Marcos Damaceno, que assina a dramaturgia resultante da adaptação do texto Como me tornei um artista de fuga, de Guto Gevaerd – é a impotência diante da passagem do tempo, em especial no que se refere à inevitabilidade da morte. Leia mais

Reportagem

Foto: Jorge Mariano

Signo da crise dá sopro a Curitiba

02 de abril 2016 |
por Valmir Santos • São Paulo

Daqui a cinco anos, quem sabe, a 25ª edição do Festival de Teatro de Curitiba poderá ser lida como aquela em que os abalos político-econômicos do momento brasileiro lhe fizeram algum bem. As sacudidas que quase cancelaram o evento por falta de recursos, a cinco meses da abertura, também empurraram os organizadores da presumida zona de conforto. Leia mais

Reportagem

Foto: Mads Møller Andersen

Curitiba reduz custos e mantém ala estrangeira

25 de março 2015 |
por Maria Eugênia de Menezes • São Paulo

O maior evento teatral do Brasil começa hoje e segue até o dia 5 de abril. Em sua 24ª edição, o Festival de Curitiba continua a manter a proposta e os números superlativos que o caracterizam desde sua criação. Serão 29 espetáculos, entre eles sete estreias nacionais. E a mostra oficial permanece como uma vitrine do que se passa nos palcos do País – especialmente no eixo Rio-São Paulo. Leia mais

Reportagem

Foto: Deivyson Teixeira

Teatro Máquina tensiona ‘Fatzer’ de Brecht

24 de março 2015 |
por Helena Carnieri • Curitiba

Quando um escritor estimado deixa algum texto inacabado, pode ter certeza de que muita gente irá se concentrar nele. A curiosidade em torno do que aquilo poderia ter sido estimula adaptações, como acontece com a peça sem desfecho conhecida como Material Fatzer, escrita em fragmentos entre 1926 e 1931 por Bertolt Brecht. Entre outros, o conceituado dramaturgo Heiner Müeller fez uma versão que completa a obra, que ele chamou de O declínio do egoísta Johann Fatzer. Leia mais

Desenvolvido por: Reppublica