Menu

Publicações com a tag:

“Maria Eugênia de Menezes"

Assine nossa newsletter

Publicações com a tag:

“Maria Eugênia de Menezes"

Crítica

As razões para matar o pai. Em Tebas land, peça de Sergio Blanco, essa questão parece organizar a trama. Como nas outras montagens do franco-uruguaio que puderam ser vistas no Brasil recentemente – caso de A ira de Narciso e o O bramido de Düsseldorf –, uma morte surge como disparadora das ações. Como se o espanto diante da ideia de matar ou de morrer incitasse o dramaturgo a pôr em funcionamento uma máquina que mistura ficção e autobiografia.

Leia mais

Crítica

Foi com uma linguagem inventiva e próxima ao ideário do teatro pós-dramático que o Magiluth conquistou seu espaço na cena teatral nacional. Criado no Recife, em 2004, o grupo investia em propostas de criação coletiva, valorizando a desconstrução do texto e uma interpretação muito mais próxima do performativo do que da representação propriamente dita.

Por diferentes motivos pode-se considerar Apenas o fim do mundo como obra que sinaliza maturidade. Para compor o espetáculo, o grupo pernambucano trouxe muito da experiência acumulada em seus 15 anos de existência: o jogo performático permanece a dar o tom e o espectador, figura sempre central em seu trabalho, funciona como aspecto motor – adentrando os limites da encenação e impregnando-lhe o ritmo.

Leia mais

Crítica

Como se viu em boa parte da programação da MITsp 2019, Paisagens para não colorir, espetáculo da Compañía de Teatro La Re-Sentida, do Chile, parte de episódios e histórias verídicas. Nesse exemplar de teatro documentário, foram considerados os testemunhos de adolescentes entre 13 e 16 anos. Durante mais de um ano de workshops e entrevistas, a equipe do diretor Marco Layera investigou não apenas as violências a que são submetidas as garotas de seu país, como também garantiu que seus questionamentos e subjetividades tivessem espaço. Leia mais

Crítica

Ao celebrar seus 40 anos de existência, o Tapa – uma das mais longevas companhias brasileiras – escolheu montar O jardim das cerejeiras. Para um grupo que alcançou a maioridade levando ao palco justamente a primeira obra de Anton Tchekhov, Ivanov, em 1998, é significativo que a comemoração seja marcada por essa que é a última e mais brilhante das peças do autor russo. Leia mais

Encontro com Espectadores

O espetáculo Pi – Panorâmica insana ficou em cartaz em junho e julho deste ano em São Paulo. Ocupou o Teatro Novo que abriu as portas sob arquitetura cênica inacabada, no mesmo endereço onde funcionou o Teatro Dias Gomes, na Vila Mariana. O porvir e o presente estão mesmo no centro das inquietudes da diretora Bia Lessa em processo artístico junto aos atores-criadores Cláudia Abreu, Leandra Leal, Luiz Henrique Nogueira e Rodrigo Pandolfo.

No diálogo transcrito abaixo, Bia e Cláudia conversam com a jornalista e crítica Maria Eugênica de Menezes sobre as motivações e pulsações da obra Leia mais

Crítica

As peças do uruguaio Sergio Blanco costumam se concentrar em único objeto: ele mesmo. Ao contrário, porém, do que se poderia esperar, a escrita desse autor não utiliza a própria identidade como forma de criar um teatro egocêntrico ou autocentrado. Em El bramido de Düsseldorf, que integrou o Mirada 2018 – Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas, em Santos, e foi encenada também em São Paulo, Blanco consegue desdobrar a si mesmo como um espelho do mundo. Leia mais

Encontro com Espectadores

Prestes a completar 30 anos, em 2019, a Companhia de Teatro Os Satyros centra os últimos trabalhos na pesquisa formal e temática acerca das lutas identitárias. As condições de refugiados, transexuais e travestis, por exemplo, entre demais grupos minorizados, estão presentes em espetáculos como Cabaret transperipatético e O incrível mundo dos baldios, este catalisador do 20º Encontro com o Espectador, realizado em 27 de maio no Itaú Cultural.

Leia a seguir transcrição dos relatos do ator Ivam Cabral e do diretor Rodolfo García Vázquez, cofundadores da companhia paulistana, sob mediação de Maria Eugênia de Menezes e breve introdução de Beth Néspoli, ambas jornalistas e críticas. Leia mais