Menu

Publicações com a tag:

“Giovana Soar"

Assine nossa newsletter

Publicações com a tag:

“Giovana Soar"

Crítica

Foi com uma linguagem inventiva e próxima ao ideário do teatro pós-dramático que o Magiluth conquistou seu espaço na cena teatral nacional. Criado no Recife, em 2004, o grupo investia em propostas de criação coletiva, valorizando a desconstrução do texto e uma interpretação muito mais próxima do performativo do que da representação propriamente dita.

Por diferentes motivos pode-se considerar Apenas o fim do mundo como obra que sinaliza maturidade. Para compor o espetáculo, o grupo pernambucano trouxe muito da experiência acumulada em seus 15 anos de existência: o jogo performático permanece a dar o tom e o espectador, figura sempre central em seu trabalho, funciona como aspecto motor – adentrando os limites da encenação e impregnando-lhe o ritmo.

Leia mais

Crítica Militante

A contemporaneidade (ou os fenômenos que assim convencionamos chamar): é sobre esse universo nebuloso que se detém majoritariamente a companhia brasileira de teatro. Incertezas, incongruências e perguntas que não chegaram sequer a ser formuladas servem de alimento ao grupo de Curitiba desde 2000. Leia mais

Crítica Militante

Um projeto brasil, mesmo que grafado com iniciais minúsculas, é um projeto impossível. É tarefa inexecutável abarcar, ainda que poeticamente, as forças múltiplas e contraditórias que mobilizam os muitos discursos existentes sobre Brasil Leia mais

Crítica

Proposta de intercâmbio franco-brasileiro entre a Companhia Brasileira, dirigida por Marcio Abreu, o coletivo Jakart/Mugiscué e o Centre Dramatique National du Limousin, Nus, ferozes e antropófagos foi apresentada no formato de processo dentro da última edição do Festival de Teatro de Curitiba, que tomou conta da capital paranaense entre o final de março e o início de abril. A estreia está marcada para o próximo dia 13 no Théâtre de l’Union – Centre Dramatique National du Limousin, em Limoges, na França. Leia mais